sexta-feira, 1 de maio de 2015

Porto de Suape movimenta 5 milhões de toneladas de cargas no primeiro trimestre




A movimentação de cargas no Porto de Suape chegou ao recorde de 5 milhões de toneladas no primeiro trimestre deste ano.
A marca é 32,7% maior que o total registrado no mesmo período de 2014, quando circularam 3,78 milhões de toneladas de cargas. O mês de março teve a maior movimentação do período, com cerca de 1,81 milhão, e é o novo recorde mensal, com crescimento de 49% em relação a março do ano passado e 11% a fevereiro deste ano, que era o recorde até então, com 1,63 milhão de toneladas.
Entre as cargas movimentadas, os granéis líquidos (combustíveis, álcoois, óleos, gases e produtos químicos) foram os responsáveis pelo grande aumento, já que registraram o crescimento de 59% em relação aos três primeiros meses de 2014.
Este ano, passaram pelo Porto de Suape 3,56 milhões de toneladas de granéis líquidos, contra 2,24 milhões do ano passado. Se compararmos apenas os meses de março, a movimentação de granéis líquidos, em 2015, foi 92% superior a 2014. Dentre essas mercadorias, destacam-se óleo diesel (960 mil t), óleo combustível (737 mil t), óleos brutos (560 mil t) e querosene de aviação (328 mil t).
As cargas conteinerizadas somaram 1,12 milhão de toneladas ou 101 mil TEUs (unidade de contêiner de 20 pés); os granéis sólidos, 249 mil toneladas, e carga geral solta 55 mil toneladas.
Com relação às cargas transportadas por cabotagem, que é a navegação costeira entre os portos de um mesmo país, Suape registrou um aumento de 53% neste tipo de navegação. Os embarques e desembarques de cabotagem neste trimestre somaram 3,15 milhões de toneladas, contra 2,06 milhões em 2014. A navegação de longo curso (importação e exportação) também cresceu e fechou o trimestre com alta de 26,2%. Quanto ao fluxo de navios, o porto recebeu 385 embarcações, 28 a mais que os três primeiros meses de 2014.
No ano passado, Suape movimentou 15,2 milhões de toneladas de cargas e 418 mil TEUs, sendo o principal porto em movimentação de contêineres do Norte e Nordeste. Entre as mercadorias que passaram por Suape em 2014, destacaram-se óleo diesel (17%), GLP (16,6%), óleo combustível (9,2%) e gasolina (5,7%), além das cargas transportadas por contêineres que representaram 30,8% da movimentação.
Balanço – Nesta quinta-feira, a administração do Complexo Industrial Portuário de Suape divulgou o balanço patrimonial de 2014 no Diário Oficial do Estado de Pernambuco. No ano passado, o faturamento do porto foi de R$ 112,5 milhões, o que representa um crescimento de 27,11% em relação a 2013, que tinha registrado R$ 88,5 milhões.
No faturamento, são contabilizados os pagamentos provenientes dos arrendamentos, das tarifas portuárias e dos aluguéis. O lucro líquido do exercício de 2014 foi de R$ 9,44 milhões, superior ao de 2013 em 7,63%, que tinha sido de R$ 8,77 milhões.
Fonte: Blog do Jamildo.

sábado, 25 de abril de 2015

Licitação do lote 2 do Arco Metropolitano mais perto de sair do papel





A licitação para o lote 2 do Arco Metropolitano parece estar mais perto de sair do papel. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) entr[TEXTO]egou, esta semana, à Agência Pernambucana de Meio Ambiente (CPRH) as informações que estavam faltando para concluir a análise do licenciamento ambiental desse trecho da obra, que vai ligar Suape a São Lourenço da Mata. No meio político, a expectativa é de que a presidente da República, Dilma Rousseff (PT), lance o edital para a contratação de obras do lote 2 na visita que fará a Pernambuco para a inauguração da montadora da Jeep na próxima terça-feira.O Arco Metropolitano é fundamental para melhorar a mobilidade do Grande Recife, porque vai implantar uma alça viária ligando Suape, no Litoral Sul, a Goiana, na Mata Norte, sem passar pelos congestionamentos frequentes da BR-101.


http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/economia/pernambuco/noticia/2015/04/25/licitacao-do-lote-2-do-arco-metropolitano-mais-perto-de-sair-do-papel-178320.php

Fonte: JCOnline

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Pernambuco começa a produzir gasolina em Suape nesta segunda





Em busca da autossuficiência na produção de gasolina em Pernambuco, a empresa italiana Decal, prestadora de serviços da Petrobras, inicia a produção do combustível na próxima segunda-feira (27), no Complexo Portuário de Suape, em Ipojuca, Grande Recife.
A Decal recebe a matéria-prima – no caso o nafta – da estatal, que importa o produto, faz a mistura dos produtos e a gasolina retorna a Petrobras.
No bojo dos escândalos da Operação Lava Jato e com o rombo de quase R$ 21,6 bilhões em 2014, segundo balanço financeiro divulgado nesta quarta-feira (23), a Petrobras tem  a intenção de buscar a independência do mercado externo, deixando de comprar gasolina importada, e otimizar a logística do fornecimento para o mercado.
No primeiro momento, a Decal vai produzir 20 mil metros cúbicos do combustível por mês, com previsão de chegar até 100 mil metros cúbicos. A produção deve abastecer o mercado local e pode ser destinada aos demais consumidores do Norte e Nordeste.
O gerente geral da Decal, Jorge Lemos, explicou que, após a formulação, a gasolina sairá dos tanques para o mercado consumidor via dutovia, passando por outros terminais de armazenamento de líquidos do Porto de Suape.
Quanto ao investimento da Petrobras na empresa, Jorge Lemos explica que a busca pela autossuficiência é uma resposta à crise financeira que a estatal enfrenta.
“Isso mostra que petrolífera não está parada. Ela está se mexendo e buscando soluções. A nossa produção não vai atender todo o déficit do produto no país, mas é um avanço. Outras empresas também devem se interessar. É uma independência do mercado externo”, comentou o representante da empresa italiana.
A Decal é o único terminal de combustíveis do País autorizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustível (ANP) a realizar a fabricação de gasolina, e, no Brasil, o grupo só possui unidade em Suape. A empresa é responsável pela mistura, o “blending”, que dá origem à gasolina do tipo A, sem a presença de álcool.
O primeiro lote do combustível deve sair para o mercado pernambucano no início de maio, após certificação expedida por laboratório e de acordo os padrões estabelecidos pela ANP.
A agência emitiu autorização em dezembro do ano passado, permitindo que a empresa produza até 3,3 mil metros cúbicos de gasolina tipo A (sem álcool anidro) por dia, a partir do processo conhecido como formulação, que consiste na mistura de hidrocarbonetos (composto orgânico) para produzir derivados de petróleo. Todo o processo acontece em tanques específicos, instalados no terminal da Decal, em Suape.
Nos últimos dias, a Decal recebeu as primeiras cargas de nafta, matéria-prima utilizada na formulação da gasolina.
A produção de gasolina em Suape é um marco nas atividades portuárias que envolvem os granéis líquidos (álcoois, gases, petróleo e seus derivados) no Porto.
“Desde 1985, quando o parque de tancagem do Porto do Recife foi transferido para cá, os combustíveis que abastecem o mercado local chegam por Suape. 69% da nossa movimentação de cargas no primeiro bimestre deste ano correspondeu aos granéis líquidos. Isso representa mais de 2,19 milhões de toneladas e um crescimento de 43% em relação aos dois primeiros meses de 2014”, explicou Paulo Coimbra, diretor de Gestão Portuária de Suape.
A unidade da Decal em Suape tem capacidade para armazenar 156 mil metros cúbicos de combustíveis nos 12 tanques que possui. Além da gasolina, a ANP também autorizou a produção de diesel nos mesmos moldes e limites. O terminal iniciou suas operações em 2005.
Em operação desde 2005, a empresa emprega 41 funcionários. Segundo Lemos, R$ 85 milhões foram investidos nesta primeira fase. A empresa pretende ampliar a operação para 400 mil metros cúbicos. O investimento, que depende de aprovação da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) será de R$ 250 milhões.
Fonte: Blog do Jamildo

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Volta ao Blog

Prezados Amigos,

Após longo período de inatividade, volto ao blog PortoDeSuape, num ambiente bem diferente daquele que me motivou a criá-lo. A grande promessa de Suape com a implantação do seu principal empreendimento, a refinaria Abreu e Lima, fez-me sentir vontade e motivação de participar desse grande processo de mudança em andamento no estado de Pernambuco. Embora Suape ainda seja uma das maiores processas econômicas do país, a queda nas atividades das empresas é visível, principalmente naquelas ligadas à Petrobras. O governo de Pernambuco tem se esforçado para trazer novos investimentos para o pólo industrial. Acredito que após esta tempestade de corrupção que assola nosso país, a economia tornará a crescer e Suape continuará como protagonista do crescimento brasileiro. Um grande abraço.

Valter Barreto
valterbarreto@microbytecnologia.com.br


Follow by Email