quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Agência do Trabalho oferece 25 vagas de emprego em Suape

A Agência do Trabalho ofecere, nesta quinta-feira (27), 25 oportunidades de emprego em empresa em Suape. São 25 vagas para a área da Construção Civil, sendo 12 na função de mecânico montador, quatro para maçariqueiro, outras quatro para encarregado de soldagem e cinco para encarregado de estrutura metálica.

Os candidatos precisam ter seis meses de experiência comprovada na Carteira de Trabalho e a exigência de escolaridade varia entre alfabetizado e pessoas que tenham cursando até a 4° série do ensino fundamental.

Os interessados devem procurar diretamente o Setor de Intermediação, localizado no 1° andar da Agência da Boa Vista, no Recife.
 
Fonte: JC

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Moura pode construir nova indústria em Suape

A Moura pode construir uma segunda unidade industrial em Pernambuco, desta vez no Complexo Industrial Portuário de Suape. A ideia é fornecer um outro tipo de autopeça, que não seja a bateria, para a fábrica da Fiat. As conversas já foram iniciadas entre as duas empresas, mas ainda não há definição sobre o tipo de componente nem sobre o valor do investimento.

Há 32 anos, a Moura é parceira da Fiat, equipando 70% dos veículos da montadora. Foto: Renata Victor/Divulgação - 1/7/10A pernambucana é parceira da montadora italiana há 32 anos e equipa cerca de 70% dos carros Fiat fabricados no Brasil. Na Argentina, 100% dos automóveis saem da fábrica da Fiat em Cordoba equipados com as baterias Moura. ´O jogo está aberto. A Fiat quer que a Moura se candidate a fazer outros tipos de componentes para atender à nova fábrica em Suape. Diante do pleito de um cliente tão importante, decidimos trabalhar o assunto`, diz o presidente executivo da Moura, Sérgio Moura.

O executivo lembra que a política da Fiat é incentivar a formação de um cinturão de fornecedores de peças em torno de suas fábricas. É assim em Betim (MG), onde a Fiat mantém uma unidade desde 1976. E será assim em Suape, local escolhido para sediar a segunda fábrica da italiana no Brasil. Segundo o governo do estado, cerca de 50 fornecedores deverão se instalar ao redor da planta em Suape.

Sérgio, entretanto, afirma que nem o fornecimento de baterias a esta nova planta foi definido ainda. ´Ainda não sei se seremos um desses sistemistas em Pernambuco, mas estamos nos habilitando e é natural que a parceria se repita aqui. Até mesmo porque a Moura é o único fornecedor da Fiat no Nordeste. Nossa interação é muito forte`, justifica.

Nesse caso, haveria uma vantagem logística grande, já que a fábrica da Moura em Belo Jardim está situada a apenas 200 quilômetros de Suape. A Moura possui cinco plantas industriais (Belo Jardim-PE, Lauro de Freitas-BA, Betim-MG e Itapetininga-SP), dois centros técnicos e logísticos e mais de 60 centros de distribuição comercial, além de um centro técnico avançado na Argentina e unidades independentes para atender toda a região do Mercosul e parte do continente europeu.

A fábrica da Fiat em Suape teve sua pedra fundamental lançada no dia 28 de dezembro. O investimento estimado é de R$ 3 bilhões, com possibilidade de gerar 3,5 mil empregos diretos. A capacidade da montadora, que começa a operar em 2014, será de 200 mil carros/ano. O investimento faz parte de um pacote de R$ 10 bilhões anunciado no ano passado, dos quais R$ 7 bilhões serão utilizados para ampliar a unidade de Betim.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Investimentos de Suape também impulsionam região

Com a força do polo de Suape e a vinda de grandes empresas para Pernambuco, o governo do Estado está direcionando alguns investimentos para o interior através de incentivos fiscais. A chegada de novas empresas deve impulsionar ainda mais o PIB do Estado nos próximos anos.
Só no último mês foi anunciada a chegada de seis empresas, sendo quatro para a Zona da Mata, uma para o Agreste – em Caruaru – e uma para o Sertão – em Carnaíba. Em Caruaru, desembarcou a IF Indústria de Pré-Moldados, da empresa paraibana Metalúrgica Silvana, com R$ 5 milhões de investimentos, gerando 100 empregos diretos.

Além da chegada dos investimentos destinados para Suape, a Transnordestina, segundo especialistas, é outro fator que tem um enorme potencial de expansão da região. "Com a conclusão dessa obra haverá uma dinamização na economia do Agreste e Sertão pela nova logística de tranporte que terão a sua disposição", aponta.

INTEGRAÇÃO

Para o economista e professor do mestrado em administração e desenvolvimento rural da UFRPE, Romilson Marques Cabral, a chegada das obras estruturadoras no Nordeste e, em especial, no Estado, merecem um planejamento regionalizado. "Estruturas como a Transposição do Rio São Francisco e a Transordestina, que abrangem vários municípios, precisam de uma discussão integrada e articulada com diversas prefeituras". (R.D.)

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Fiat está de olho na capacitação

A Fiat iniciou ontem as tratativas para obter apoio à implantação de sua nova fábrica no Complexo Industrial Portuário de Suape. O diretor de Relações Industriais para a América Latina da empresa, Adauto Duarte, esteve no Recife para conhecer a disponibilidade, a capacidade técnica e a infraestrutura do Sistema Indústria. Na agenda, assuntos como capacitação de mão de obra, serviços de saúde, educação e lazer, inovação tecnológica e cadeia de fornecedores.

´Essa foi uma primeira reunião e serviu para identificar como o sistema está preparado para receber a Fiat. Encontramos uma estrutura bem organizada e muito profissional, com instalações físicas adequadas, corpo docente e programas de qualificação e aperfeiçoamento`, comentou Adauto Duarte. Segundo ele, a próxima etapa ocorre no dia 25, com a presença do diretor de Recursos Humanos, Vilmar Fistarol. ´Será quando as nossas necessidades começarão a ser detalhadas`, disse.

A reunião de ontem contou com a presença do presidente da Federação das Indústrias de Pernambuco (Fiepe), Jorge Côrte Real, do coordenador de Desenvolvimento Industrial da casa, Antônio Sotero, e de representantes do Senai, Sesi e IEL. Sotero afirmou que a implantação da Fiat será ´um grande desafio`, mas garantiu que o sistema está preparado para atendê-la.

´Um dos desafios será adequar os cursos do Senai para uma situação de operação, porque hoje nossa expertise é apenas no pós-venda`, disse Sotero, referindo-se aos cursos de eletromecânica voltados para o atendimento das concessionárias. Uma possibilidade é utilizar o modelo do programa Jovem Aprendiz, do governo federal, com quase 1.200 horas-aula e estágio garantido.

A pedra fundamental da fábrica foi lançada em 28 de dezembro, com a presença do ex-presidente Lula. A unidade terá um investimento de R$ 3 bilhões e deve gerar cerca de 3,5 mil empregos diretos, com capacidade para produzir 200 mil veículos/ano. A entrada em operação está prevista para 2014. Segundo o governo do estado, pelo menos 50 empresas (as sistemistas) deverão se instalar ao redor da montadora e o objetivo do Sistema Indústria é maximizar o conteúdo local.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Suape licitará um novo terminal de contêineres

A administração do Porto de Suape está preparando a licitação de um novo terminal de contêineres no complexo industrial e portuário. "Faremos essa concorrência este ano, depois que tivermos os recursos garantidos para a construção do cais 6 e do 7 de Suape", afirmou o diretor de engenharia do Porto de Suape, Ricardo Padilha.
Os cais 6 e 7 serão usados pelo novo terminal de contêineres. O governo estadual vai fazer a infraestrutura do cais – com recursos federais – e a empresa que vencer a concorrência bancará o investimento no terminal, incluindo a compra de equipamentos para a movimentação de carga.

Atualmente, o Porto de Suape tem o Terminal de Contêineres do Porto de Suape (Tecon-Suape), a primeira empresa que obteve uma concessão, no governo Jarbas Vasconcelos, para explorar um empreendimento desse tipo. No contrato de concessão firmado entre o Tecon-Suape e o governo do Estado, ficou estabelecido que só seria implantado um segundo terminal quando o Tecon-Suape registrasse uma movimentação média de 250 mil contêineres por três anos consecutivos. Inicialmente, a previsão era que fosse necessário um segundo terminal, com o Tecon-Suape atingindo essa movimentação em 2016.

A movimentação de contêineres no Estado está crescendo em ritmo acelerado. Em 2010, o Tecon-Suape movimentou 226 mil contêineres e 340 mil Teus (unidades padrão do que pode ser transportado num contêineres de 20 pés). Geralmente, os contêineres têm dois tamanhos, de 20 pés e 40 pés, por isso que a quantidade de Teus é maior do que a de contêineres.

"A movimentação de 2010 significou um crescimento de 35,5% sobre o desempenho do ano anterior", comentou Kano. O ano de 2009 não foi muito bom para a movimentação de carga, devido ao impacto causado pela crise internacional, que levou algumas empresas a importarem menos insumos.

A expectativa de Kano é que o Tecon alcance, até 2012, a movimentação média, a partir da qual o Estado pode licitar outro terminal. "Não queremos ser o único terminal, porque com o tempo isso significaria que Suape não está crescendo e torcemos para que Suape cresça", justificou.

"Quando a montadora da Fiat estiver com dois anos de operação, a previsão é que ocorra uma movimentação de contêineres correspondente a 50% da nossa atual capacidade", disse Sérgio Kano.

Fonte: Jornal do Commercio
 

Píer Petroleirono Complexo Industrial e Portuário de Suape está concluído

Uma das maiores e mais complexas obras realizadas no Complexo Industrial e Portuário de Suape está concluída. O Píer Petroleiro, que possui 2,2km de extensão mar adentro, está pronto para receber a navegação e atracação de navios petroleiros para a Refinaria de Abreu e Lima. Porém, apesar da conclusão dentro do prazo estimado, a obra ainda não tem data marcada para ser inaugurada.

A obra contempla a construção de dois terminais de atracação, de 110.000 e 170.000 TPB (Suezmax), a dragagem da bacia de evolução do porto, a construção de uma tubovia, o prolongamento e reforço do molhe e melhoria do acesso viário do Porto de Suape.

Para sair do papel, o projeto executado pelo consórcio CBPO/OAS/ Andrade Gutierrez recebeu investimentos da ordem de R$ 367 milhões, e deve começar a operar no primeiro trimestre de 2013, quando a Refinaria também deve entrar em funcionamento.

De importância vital para o funcionamento da Refinaria Abreu e Lima, o píer representa a conexão entre Suape e o estado do Rio de Janeiro, um dos maiores exportadores de petróleo do País. "É uma obra fundamental para garantir a logística de importação de petróleo cru que vem do Rio de Janeiro. Com o píer poderemos trabalhar com os navios, e obter maior eficiência no escoamento e na distribuição do produto produzido em Suape", disse o presidente da Refinaria Abreu e Lima, Marcelino Guedes.

De acordo com o diretor de Engenharia e Meio Ambiente de Suape, Ricardo Padilha, a obra inclui a construção de uma tubovia de mais de dois quilômetros de comprimento, onde ficará a tubulação de petróleo que chega e que volta para carregar os navios. "Além disso, garantimos a ampliação do mole, que cresceu em 100 metros, e o melhoramento de toda via de acesso ao mole (estrutura de pedra que estabiliza o navio no mar no momento da atracação), que foi pavimentada, asfaltada e alargada", completou. Inicialmente o cronograma do projeto previa a sua conclusão para o mês de setembro de 2010.

Fonte: Folha de Pernambuco (PE

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Açúcar representa 39% das exportações

Do total da pauta de exportação de Pernambuco, o açúcar corresponde a 39%. Em 2010, o volume de produção do açúcar foi de 1,6 milhão de toneladas, dos quais 800 mil foram exportadas. De acordo com o presidente do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool de Pernambuco (Sindaçúcar-PE), Renato Cunha, o principal destino deste derivado da cana em 2010 foi a Rússia, que comprou 44%. Em seguida, vem os Estados Unidos (17%), Espanha e Portugal (19%), Venezuela (6%), Canadá (5%) e Bulgária (4%).

"Das 800 mil toneladas, 400 mil foram de açúcar refinado e ensacado e a outra metade do tipo VHP (Very High Polarization), ou a granel. Apesar do valor da commoditie açúcar ter um bom preço em relação às demais nas bolsas internacionais, o setor não está podendo aproveitar em função da sobrevalorização do Real versus Dólar. Estamos tendo boa chance sobre o balanço mundial do açúcar em relação à demanda, mas isso fez com que o valor da commoditie subisse, o que nos prejudica, porque exportamos em Dólar", declarou Cunha.

Ainda segundo o presidente do Sindaçúcar, "quando convertemos o Dólar para Real não é o suficiente para suprir os custos na exportação. Temos que focar nas despesas de produção que não estão sendo neutralizadas em relação à baixa competitividade do Dólar em comparação ao Real", reforçou. Para escoar maior volume do produto e, assim, aquecer o mercado nacional, está previsto o lançamento, em Suape, a licitação para o arrendamento do novo terminal açucareiro complementar ao do Porto do Recife. Já existe, inclusive, uma trade inglesa interessada em concorrer, a ED & F MAN. O terminal exportará o açúcar refinado, o que ainda não é feito pelo Porto do Recife.

"O emprendimento custará, em média, US$ 50 milhões, e vai escoar o produto para a cadeia produtiva. A comercialização dos volumes, via Suape, será para o Norte da África e Oriente Médio. Trata-se de uma operação mais moderna. O açúcar vai abastecer o navio fábrica Bibo, que receberá o produto à granel para ser empacotado no seu destino", disse.

Para Renato Cunha, nesse momento, as exportações do açúcar e do álcool são mais convidativas porque a demanda é maior. "O açúcar tem mais protecionismo, mas, por conta da queda na produção da Índia, nos últimos três anos, conseguimos exportar um volume maior para vários países. Quando isso ocorre, faz com que o mercado mundial se valorize e a comercialização fique mais rápida. Já o etanol tem muitas barreiras como, por exemplo, as altas tarifas e outras dificuldades", concluiu.

Fonte: Folha de Pernambuco(PE)

Follow by Email