terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Aberta a temporada de novos empreendimentos

Complexo de Suape vai abrigar 4 projetos. Juntos, gerarão 2,4 mil vagas diretas, além de investirem R$ 355 mi

Mais quatro empreendimentos desembarcaram ontem no Complexo Industrial Portuário de Suape. São eles: Aguilar y Salas, RM Eólica II, Impsa Hydro e WinnP, todos do ramo metalmecânico. Juntos, irão gerar mais de 2,4 mil empregos diretos e indiretos, totalizando um investimento superior a R$ 355 milhões.

Segundo o vice-presidente de Suape, Sidnei Aires, os editais para a licitação das áreas serão publicados hoje no Diário Oficial do Estado. ´Se tudo correr como o esperado, as obras começam em fevereiro e todas as unidades devem entrar em operação até o primeiro semestre de 2012`, diz o executivo. O preço médio dos terrenos que serão licitados é de R$ 283 mil por hectare.

Dois dos quatro empreendimentos são do grupo argentino Impsa, que possui uma fábrica de aerogeradores em Suape. A unidade, inaugurada em setembro de 2008, ocupa uma área de 27 hectares e emprega 350 pessoas. Sua capacidade de produção é de 350 aerogeradores/ano, para atender tanto a demanda do mercado quanto a da própria empresa, que está montando parques eólicos no Ceará e é um dos fornecedores do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas (Proinfa).

Agora, a partir de uma joint venture com a sulcoreana Win&P, a Impsa passará a fabricar também as torres de aço. A nova empresa foi batizada de WinnP. ´Vamos investir cerca de R$ 35 milhões e gerar mais 135 empregos diretos e outros 540 indiretos. O início da operação está previsto para outubro de 2011`, afirma o diretor industrial da Impsa Wind, Federico Schlamp.

De olho nas encomendas das novas hidrelétricas que estão sendo construídas no país, a Impsa também anunciou uma unidade para produzir equipamentos destinados à geração de energia, geradores, turbinas, vasos de pressão e reatores. A Impsa Hydro já nasce tendo em carteira quatro turbinas para a usina de Belo Monte, no Pará, e terá um parque de usinagem com capacidade para 500 toneladas, o maior da América do Sul. O investimento informado é de R$ 230 milhões.

A RM Eólica é outra que está ampliando sua presença em Suape. Depois de inaugurar uma fábrica de torres eólicas em maio deste ano, o grupo espanhol Gonvarri decidiu montar também uma unidade para produzir flanges tanto para torres quanto para o setor petroquímico. O investimento anunciado foi de 22 milhões de euros (cerca de R$ 49,5 milhões) , gerando 135 empregos diretos e indiretos.

Por fim, a também espanhola Aguilar y Salas, especializada na construção de equipamentos para as áreas química, petroquímica e farmacêutica, aplicará US$ 24 milhões (cerca de R$ 40,8 milhões) numa fábrica de trocadores de calor, reatores, colunas e tanques. ´Eles vão focar nas indústrias de refino e naval. É mais uma empresa para o projeto Suape Global, que já conta com empresas como Jaraguá, Fiberglass e a chinesa Sucatex`, destaca Sidnei Aires.

Se tudo correr como o esperado, as obras começam em fevereiro
Sidnei Aires, vice-presidente de Suape

Fonte: Diário de Pernambuco

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email