domingo, 26 de setembro de 2010

Columbia inaugura instalação em Pernambuco

 

O Grupo Columbia inaugura neste mês um novo centro de distribuição localizado em Jaboatão dos Guararapes, região metropolitana do Recife (PE). A nova unidade terá capacidade suficiente para distribuir produtos para toda a região nordeste do País.

A instalação, que conta com 6.500m² de área de armazenagem e possibilidade de expansão para 18.000 m², localiza-se a 30 km do Porto de Suape, o que garante a facilidade de acesso ao complexo portuário.

"A decisão de instalar a nova unidade no Estado de Pernambuco está ligada ao alto crescimento das importações e exportações realizadas através do Porto de Suape, que tornou a região do Recife um centro concentrador e distribuidor de cargas", explica o presidente do Grupo Columbia, Nivaldo Tuba.

Trata-se do segundo empreendimento da Columbia na região nordeste brasileira, sendo a primeira o EADI Salvador, no estado da Bahia, com uma área total de 122.837m², oferecendo serviços de armazenagem, importação, exportação e transporte de cargas.

A nova central de distribuição no Recife faz parte parte da Columbia Logística S/A, nova empresa da Columbia em parceria com a Ability Comércio Exterior, com o intuito de promover à região serviços integrados de logística.

Fonte: Guia Marítimo

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Chineses combatem "pirataria

Chineses combatem "pirataria"
XCMG // Empresa, que terá montadora em Suape, quer coibir importação paralela de suas máquinas pesadas no Brasil
Micheline Batista
michelinebatista.pe@dabr.com.br


A chinesa XCMG, que está implantando uma montadora de máquinas pesadas no Complexo Industrial Portuário de Suape, decidiu fechar o cerco contra os importadores "piratas". A empresa acaba de contratar um escritório de advocacia no Brasil para proteger o acordo de distribuição e venda exclusiva que mantém com a Êxito Import & Export, também parceira no empreendimento anunciado para Pernambuco. O objetivo é adotar medidas legais para coibir a venda de máquinas adquiridas via importação paralela no país.


As máquinas da XCMG são comercializadas por 22 revendas no país. Foto: Debora Alves/Divulgação
Em época de boom na construção civil, é bom ficar de olhos bem abertos. Para se ter uma ideia, cerca de 80% dos guindastes em operação em Suape são da marca XCMG. Não se sabe quantas foram importadas de forma regular. "As máquinas adquiridas no paralelo não são aptas a trabalhar no clima tropical e não contam com assistência técnica adequada. Não há nem mesmo garantia de entrega, pois muitas vezes as tradings chinesas vendem o equipamento sem que ele exista no estoque", diz o sócio-diretor da Êxito, José Roberto Gomes.

Segundo ele, a Êxito só comercializa produtos que já estão no Brasil e oferece assistência técnica e pós-venda. Em relação à assistência técnica, uma das vantagens da aquisição via importador autorizado que o executivo aponta é a instalação do motor Cummins, fabricado nacionalmente. "Se houver algum problema, quem vai dar garantia e assistência é a Cummins do Brasil", acrescenta José Roberto. As peças para reposição, por sua vez, são destinadas apenas aos equipamentos "tropicalizados" e o estoque é planejado de acordo apenas com as vendas feitas pelo distribuidor autorizado.

A Êxito comercializa as máquinas da XCMG por meio de 22 revendas espalhadas pelo país. Em Pernambuco, a venda ocorre através da Comaq, que fica em Jaboatão dos Guararapes. "Quem compra por meio de outro canal está fazendo um péssimo negócio. Vai pagar o mesmo preço e ficar sem assistência", avisa José Roberto. O preço de uma máquina de terraplenagem varia de R$ 170 mil a R$ 600 mil.Já os guindastes variam de R$ 450 mil a R$ 3,2 milhões.

A XCMG, 10ª maior fábrica de máquinas e equipamentos para construção civil no mundo, tem condições de rastrear as máquinas que exporta pelo número do chassi. Há notícia, inclusive, de que alguns equipamentos enviados como ajuda a países africanos, como Angola, são desviados e vendidos clandestinamente no Brasil. A montadora autorizou o escritório de advocacia a emitir notificações extrajudiciais via correio, advertindo os importadores piratas de que essa é uma prática ilegal.

"Já notificamos 12 importadoras e sete já cessaram essa prática. As que insistirem serão acionadas na Justiça, pois vamos entrar com uma ação cominatória pedindo ao juiz que estabeleça uma multa por cada importação irregular", explica o advogado da XCMG no Brasil, Napoleão Casado Filho. Também será solicitada a indenização por danos morais, porque a marca XCMG sai prejudicada, podendo perder credibilidade. 

sábado, 18 de setembro de 2010

Porto de Suape apresenta potencialidades na Rio Oil & Gas


Porto de Suape apresenta potencialidades na Rio Oil & Gas

O Rio de Janeiro recebe, entre os próximos dias 13 a 16 de setembro, o Complexo Industrial Portuário de Suape durante o maior evento de petróleo e gás da América Latina, a Rio Oil & Gas. A feira acontece no pavilhão do Riocentro e reúne os maiores players mundiais de petróleo. Suape será destaque no evento, já que no porto estão sendo implantados uma refinaria, um estaleiro e três plantas petroquímicas que somam investimentos de cerca US$ 17 bilhões. Suape tem o intuito de atrair investimentos nos setores naval e de petróleo, gás e offshore.

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e presidente de Suape, Fernando Bezerra Coelho, o vice-presidente de Suape, Sidnei Aires, e os diretores da empresa, juntamente com coordenadores, apresentarão as potencialidades do Porto de Suape, além de mostrar como o Estado está se preparando para receber novos empreendimentos e distribuí-los dentro dos municípios que envolvem o Complexo, através de diretrizes propostas pelo Projeto Suape Global.

A participação de Suape na Rio Oil & Gas visa a busca de novos negócios e o contato com fornecedores da cadeia do petróleo: "Hoje, o mundo todo está conhecendo Suape. O intercâmbio com empresas nacionais e de outros países vem exatamente na direção de consolidar nosso Estado como polo mundial provedor de bens e serviços para as áreas de petróleo, gás, offshore e naval", afirma Fernando Bezerra Coelho.

Investimentos - Com a economia brasileira em destaque no cenário internacional, o Complexo de Suape, em Pernambuco, é considerado o maior polo de investimentos na região da atualidade.  O Porto recebe investimentos da ordem de US$ 17 bilhões. São mais de 100 empresas já instaladas e outras 35 em fase de implantação nos seus 30 anos de existência.

Obras como a Refinaria Abreu e Lima e o Estaleiro Atlântico Sul, o maior do Hemisfério Sul, que estão em construção no local, alavancaram novas cadeias produtivas no Estado, em um movimento que irá transformá-lo em um grande polo de bens e serviços para as indústrias naval e de petróleo, gás e offshore.

Rodada de Negócios - Como nas edições anteriores, a Rio & Gas 2010 terá uma Rodada de Negócios, reunindo os grandes compradores do mercado de petróleo, gás e biocombustíveis e as pequenas e médias empresas fornecedoras de bens e serviços para o setor.

Organizada pelo Sebrae e a Organização Nacional da Indústria de Petróleo - ONIP, a Rodada tem despertado interesse crescente da indústria, acompanhando o aumento do conteúdo nacional nas compras do setor.

PAVILHÃO PERNAMBUCO - O Governo do Estado, em Parceria com a FIEPE, está inserindo o Pavilhão Pernambuco integrado com o Stand de SUAPE GLOBAL na Feira Rio Oil & Gas, principal evento de Petróleo e Gás da América Latina, realizada a cada dois anos no Centro de Convenções do Rio Centro, Rio de Janeiro.

Nesta iniciativa são parceiros o Complexo Portuário de Suape, IBP, ONIP, Sebrae, BNDES, Simmepe, Sinaval Sucursal Norte Nordeste, Petrobras, Petroquímica Suape e Estaleiro Atlântico Sul,dente outros.

Confraternizando - Nada mais pernambucano que o cantor Alceu Valença para animar a  confraternização da Rio Oil e Gas, na noite da quarta-feira (15/09). O show acontece no Museu de Arte Moderna, a partir das 20h.

Expectativas 2010

Secretário apresenta potencialidades do Porto de Suape


 

O Complexo Industrial Portuário de Suape, em Pernambuco, é uma das novidades do Rio Oil & Gas 2010, uma vez que no porto estão sendo implantados uma refinaria, um estaleiro e três plantas petroquímicas que, juntas, somam investimentos da ordem de US$ 17 bilhões. O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e presidente de Suape, Fernando Bezerra Coelho, e demais autoridades daquele estado, estão apresentando no evento as potencialidades do Porto de Suape, além de mostrar como o Estado está se preparando para receber novos empreendimentos e distribuí-los dentro dos municípios que envolvem o complexo, por meio de diretrizes propostas pelo Projeto Suape Global.

A participação de Suape também visa buscar novos negócios e contato com fornecedores da cadeia de petróleo.

- Hoje, o mundo está conhecendo Suape. O intercâmbio com empresas nacionais e de outros países vem exatamente na direção de consolidar nosso estado como um pólo mundial provedor de bens e serviços para as áreas de petróleo, gás, offshore e naval - disse Fernando Bezerra.

Com a economia brasileira em destaque no cenário internacional, segundo ele, o complexo de Suape é considerado o maior pólo de investimento na região da atualidade. O porto recebe investimentos da ordem de US$ 17 bilhões. São mais de 100 empresas já instaladas e outras 35 em fase de implantação nos seus 30 qanos de existência.

Obras como a Refinaria Abreu Lima e o Estaleiro Atlântico Sul alavancam novas cadeias produtivas em um movimento que irá transformá-lo em um grande pólo para as indústrias naval e de petróleo, gás e offshore.

Fonte: Monitor Mercantil

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Engenharia civil: momento de construir o futuro

Engenharia civil: momento de construir o futuro


Com a chegada do RioMar Shopping, o bairro do Pina já está sendo alvo de crescente especulação imobiliária
Com a chegada do RioMar Shopping, o bairro do Pina já está sendo alvo de crescente especulação imobiliária
Foto: Divulgação

No começo deste mês, o grupo JCPM deu início à construção do shopping Rio Mar, centro comercial que promete ser o maior do Nordeste. Com a chegada do empreendimento, o bairro do Pina já está sendo alvo de crescente especulação imobiliária; uma nova paisagem começa a se delinear nos arredores. O fenômeno é apenas um exemplo de como a construção civil está retomando, contudo, uma robustez que vinha perdendo desde o início dos anos 80, quando teve início um longo período marcado pela falta de grandes investimentos no Brasil.

Hoje, no Grande Recife, o mercado está muito aquecido, sobretudo nos bairros da Zona Sul, como Boa Viagem, Pina, Piedade e Candeias. Se olharmos em volta, por todo o Estado, percebemos que a realidade é parecida, as obras estão em todo lugar. O município de Ipojuca, onde está concentrada a maioria dos novos empreendimentos de grande porte, é um grande exemplo do canteiro de obras que tem sido Pernambuco. Os investimentos estruturadores que chegam a Suape alavancam a procura dos mais variados tipos de engenheiros: naval, mecânico, de produção e, especialmente, o engenheiro civil. A profissão, uma das mais tradicionais do mundo, começa a acordar dos anos de adormecimento.

A profissão, uma das mais tradicionais do mundo, começa a acordar dos anos de adormecimento

Os números comprovam o crescimento do mercado. Em 2009, foi o segmento de maior incremento no Estado: 17,4%. Além disso, pesquisa elaborada pela revista O Empreiteiro, considerou o faturamento das construtoras de todo o País em quatro setores (construção, projetos e consultoria, montagem industrial e serviços especiais de engenharia) para eleger as 500 Grandes Empresas da Construção. O resultado desse ranking colocou a Pernambuco Construtora na posição de quarta maior construtora do Norte e Nordeste. O faturamento da empresa foi impulsionado pelas oportunidades abertas pelo Complexo Industrial de Suape. A empresa pernambucana foi responsável pela construção das fábricas da RM Eólica, espanhola que se instala no Estado.

Quem ainda não escolheu a profissão e pensa em enveredar pelos caminhos promissores da Engenharia Civil, inicialmente, é necessário ficar atento para o fato de que o engenheiro civil deve ter liderança, visão administrativa e capacidade de propor soluções inovadoras para lidar com as demandas frequentes do dia a dia, afora gostar das ciências exatas.  Além disso, o contexto atual exige um perfil dos profissionais mais preocupados com a sustentabilidade do meio ambiente. No caso do engenheiro civil, utilizando novos materiais e levando em consideração a necessidade de preservar e construir espaços verdes.

Fonte: JC

Grupo Columbia inaugura Centro de Distribuição em Pernambuco, de olho em Suape

Dando continuidade aos planos de ampliar a atuação na região Nordeste, o Grupo Columbia inaugura em setembro um novo Centro de Distribuição, localizado no município de Jaboatão dos Guararapes, região metropolitana do Recife, em Pernambuco. Dentro de um condomínio de armazéns com área total de 165.900m², a nova unidade será um CDA – Centro de Distribuição Avançado – com capacidade para distribuir produtos para toda a região nordeste.

"A decisão de instalar a nova unidade no Estado de Pernambuco está ligada ao alto crescimento das importações e exportações realizadas através do Porto de Suape, que tornou a região do Recife um centro concentrador e distribuidor de cargas", explica o presidente do Grupo Columbia, Nivaldo Tuba. Além disso, os benefícios oferecidos pelo governo local, com o objetivo de incrementar o desenvolvimento econômico do Estado, foram fundamentais para a instalação do novo CD.

A unidade possui 6.500m² de área de armazenagem com possibilidade de expansão para 18.000 m². Está localizada às margens da BR 101, há 30 km do Porto de Suape e apenas 5 km do Aeroporto Internacional do Recife/ Guararapes – Gilberto Freyre. No local, serão prestados serviços de recebimento, armazenagem, montagem de kits, embalagem, picking e distribuição. "Tudo com infraestrutura e equipamentos dentro dos mais modernos critérios tecnológicos, controlados por um WMS de primeira geração, vigilância 24 horas e circuito fechado de TV", completa o presidente do Grupo.

O Centro de Distribuição de Pernambuco fará parte da Columbia Logística S/A, empresa do Grupo Columbia em parceria com a Ability Comércio Exterior, que inicia suas atividades em setembro. Segundo Nivaldo Tuba, da mesma forma que as outras operações do Grupo Columbia, o intuito da nova empresa é prover à região serviços integrados de logística. "Iniciamos com um CD, mas em curto prazo, poderemos oferecer todo o leque de produtos que envolvem a logística integrada".

Com o novo CD, serão duas unidades da Columbia atuando na região nordeste do país. A outra unidade, a  EADI Salvador, inaugurada em 1999, é o mais moderno operador logístico da Bahia. Com uma área total de 122.837m², oferece em um único lugar o que há de melhor em operações de importação, exportação, porto seco, armazém geral, centro de distribuição e transporte em trânsito aduaneiro, de cargas nacionais e de cargas químicas perigosas.

Sobre o Grupo Columbia

Com 68 anos de tradição, o Grupo Columbia é constituído por 5 empresas que trabalham para um mesmo fim: a satisfação total do cliente. Realizando operações desde o Nordeste à ligação com o Mercosul, a flexibilidade do Grupo o permite atuar de forma local e integrada em todo o Brasil, com a infra-estrutura, tecnologia e experiência necessárias para fazer das ambições de seus clientes realidade.

São 12 áreas alfandegadas, inclusive nas principais fronteiras do país, 08 centros de distribuição, localizados em pontos estratégicos para aproximar mercadoria e consumidor. Área portuária e retro-portuária para receber produtos, além de uma rede completa de transportes, própria e agregada, que completam atuação em todo o território nacional.

E mais, operações em comércio exterior, através da Columbia Trading, que garantem resultado direto na compra e venda de produtos dentro e fora do país.

Fonte: Blog do Jamildo.


Pernambucano é 1º lugar em prova da Força Aérea

Do JC Online

Apesar do bom resultado, Renê não pretende partir agora para São Paulo
Apesar do bom resultado, Renê não pretende partir agora para São Paulo
Foto: Divulgação/ GGE

O estudante pernambucano José Renê Santos Leite, 18 anos, conquistou o primeiro lugar geral no vestibular da Academia da Força Aérea (AFA), localizada em São Paulo. O resultado foi divulgado na última quarta-feira. O jovem concorreu com 16.610 pessoas do Brasil inteiro. Cento e noventa e quatro vagas estavam disponíveis. Essa é a segunda vez que o jovem passa na AFA. No ano passado, ele também conseguiu uma das vagas na Academia.

"Fiquei muito feliz com o resultado porque fiz a AFA mais como um treinamento para o ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica)", comemorou o estudante. Apesar do bom resultado, Renê não pretende partir para São Paulo tão cedo. Pré-vestibulando do Colégio GGE e aluno de engenharia da computação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ele disse que vai continuar estudando por aqui para outros concursos. "Estou gostando do curso na faculdade e pretendo fazer iniciação científica na área de matemática. Mas tentarei o ITA no fim do ano." Se aprovado, no entanto, o jovem diz que vai ficar dividido.

Apesar de ter conquistado o primeiro lugar geral da AFA, José Renê admite que não é adepto de longas horas de estudo. "Em média, estudo duas horas por dia. Vejo algo interessante e isso me motiva a ir atrás do conhecimento. Na maioria das vezes é assim que acontece", conta. Além do ITA, o estudante pretende ainda este ano realizar o concurso para o Instituto Militar de Engenharia (IME).

sábado, 11 de setembro de 2010

Petrobras lança petroleiro e anuncia um novo recorde na produção de petróleo.

Estaleiro Atlântico Sul

NE Brasil - Suape

Obras em Suape/PE perto de começar

Trecho da Transnordestina que passará pelo Porto deve ser iniciado em outubro


Os impasses sobre o traçado da ferrovia Transnordestina que passará pelo Complexo Industrial Portuário de Suape estão perto de um fim. Representantes da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) vão se reunir com a diretoria do terminal marítimo na semana que vem para apresentar os detalhes do novo projeto, que já foi exposto à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A chegada ao Porto precisou ser alterada por conta das expansões dos municípios circunvizinhos. Fontes revelaram à Folha de Pernambuco que as obras podem iniciar no próximo mês e que o contrato com a empresa responsável estaria praticamente assinado. A intenção é aproveitar o traçado que conectava Suape a Porto Real do Colégio, em Alagoas. Para isso, será necessária a desapropriação de 16 quilômetros. Além disso, outros 120 quilômetros também terão que passar por intervenções. No projeto anterior, a ferrovia passava próxima à área urbana de Ipojuca e dentro de uma barragem chamada de Engenho Maranhão, que atende à oferta de água de Suape esclareceu o presidente do Complexo Industrial e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Fernando Bezerra Coelho. Um dos pontos que estiveram em discussão foi a existência de um ramal ferroviário que passa por dentro de Suape. A Transnordestina Logística, que responde pelas obras, queria utilizá-lo, mas o terminal marítimo quer que ele sirva para atender os passageiros dos futuros Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs). Ela (a Transnordestina) vai ter que fazer um segundo ramal e não poderá usar o nosso traçado interno. É uma decisão que já foi tomada.Vai passar do lado do ramal que existe, o que representa um custo barateado, porque a infraestrutura está pronta adiantou o diretor de Engenharia e Meio Ambiente do Porto, Ricardo Padilha.Os grandes trechos da Transnordestina foram divididos em lotes menores para dar celeridade às obras e aos repasses financeiros, que agora dependem da contrapartida de 10% da conclusão dos serviços.Dessa forma, os lotes que chegam a Suape ficaram separados em Belém de Maria/Escada e Escada/Porto de Suape, ambos com 55 quilômetros de extensão.Por e-mail, a CSN informou que não iria comentar as informações levantadas pela reportagem.Um técnico ligado às obras da ferrovia disse à Folha que um novo prazo para a entrega da malha seria divulgado até o fim do ano.A notícia de que a Transnordestina ficará pronta apenas em 2013 estaria sendo segurada em função do período eleitoral.De acordo com o diretor de Contrato da Odebrecht, Pedro Leão, apesar de não ter data e mês definidos a entrega em 2012 está garantida.Terminaremos a terraplanagem em abril de 2012, ano em que a ferrovia será concluída.Em Pernambuco, a obra está absolutamente dentro do cronograma e com o canteiro industrial produzindo de maneira efetiva afirmou.


Fonte: Folha PE

Suape terá montadora Shineray

A diretoria de Suape prepara para os próximos dias a publicação de um edital para transferir a posse de uma área de 15 hectares dentro do Complexo Industrial Portuário. O terreno tem destino certo. A Shineray, marca chinesa de motocicletas com forte presença em Pernambuco, vai instalar uma central de distribuição (CD) e uma montadora no local. O investimento nos dois projetos é de R$ 40 milhões e, segundo o diretor comercial da empresa, José Édson de Medeiros, as operações vão gerar 300 novas vagas de emprego no Estado.

O vice-presidente de Suape, Sidnei Aires, adiantou que os trâmites burocráticos para alienação da área deverão estar concluídos até o final do mês. Oficializada a transferência, a Shineray deve iniciar a elaboração dos projetos de engenharia dos dois empreendimentos, que só estarão prontos no final de 2010. Assim, as obras deverão começar em janeiro do próximo ano. A previsão do grupo é que a CD comece a funcionar já no primeiro semestre de 2011 e a montadora nos últimos seis meses. A central vai distribuir as motocicletas da marca para todas as regiões do País. Enquanto que na unidade industrial, num primeiro momento, serão montadas mensalmente 5 mil motos.

"Grande parte do investimento será direcionado para aquisição de máquinas e equipamentos. Os empreendimentos, em especial a montadora, têm como objetivo ampliar a nossa participação nacional, que hoje é pequena, de apenas 0,3%. Queremos chegar a 0,5% e depois para 1%", explicou Medeiros. O grupo está de olho em uma fatia de um dos mercados de maior crescimento no País.

Para se ter uma ideia, dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) mostram que no primeiro semestre deste ano foram emplacadas pouco mais de 831 mil motos no Brasil (sendo 3.395 da Shineray), um aumento de 8,56% em relação ao mesmo período de 2009, quando foram vendidas cerca de 765 mil.

"Os anos de 2008 e 2009 foram de estabilização no mercado. A tendência agora é só crescer", comentou o diretor comercial. Enquanto a CD e a montadora não são uma realidade, o grupo quer fechar 2010 com 50 revendas em solo brasileiro. Só no Estado estão 20 lojas atualmente. A mais recente foi inaugurada no Recife, na Avenida Caxangá.

A Shineray chegou no Brasil por Pernambuco em 2005. Não à toa, o Estado hoje representa 40% das vendas do grupo no País e já abriga uma CD, na cidade do Cabo de Santo Agostinho. A marca atua com motocicletas de 50 a 250 cilindradas, com preços que oscilam entre R$ 2.900 e R$ 8.990. Medeiros explica ainda que pretende utilizar mão de obra local nos futuros quadros da montadora.

"Em termos de vagas que exigem maior qualificação, vamos precisar de 10 engenheiros mecânicos e de produção. O restante das oportunidades poderá ser preenchida por jovens com ensino médio e profissionalizante", afirmou.

"Desde 2008 temos negociado a vinda de montadoras para cá. Esses empreendimentos são importantes porque criam cadeias produtivas complementares", comentou Sidnei Aires. De fato, conforme apontou o diretor comercial da Shineray, com a montadora em Pernambuco haverá um uso maior de peças nacionais, que podem chegar a compor 60% de uma moto.

O investimento da Shineray é mais um de um grupo chinês no Estado. A XCMG, do ramo de equipamentos pesados, vai aportar US$ 15 milhões em uma montadora e um centro logístico de peças, ambos em Suape.

Fonte: JC

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Coca-Cola aposta em embalagem reciclável


Uma garrafa PET ecológica, produzida com 30% de insumos de cana-de-açúcar. É dessa forma que a Coca-Cola sinaliza para o mundo que está em busca de uma embalagem 100% reciclável. A PlanBottle, importada da Índia, está sendo utilizada no engarrafamento do refrigerante de 500 mililitros produzido na fábrica localizada no Complexo Industrial Portuário de Suape. Na prática, ela diminui em até 25% as emissões de dióxido de carbono (CO2) ao reduzir o uso do petróleo como matéria-prima.


Garrafas com capacidade de 500 ml equivalem a 25% de toda a produção da Coca-Cola Guararapes e material reciclado vem da Índia. Foto: Debora Paes/Timbro/Divulgação - 22/10/09
"Por sermos líderes, nosso papel é provocar, mesmo pagando muito mais caro por essa garrafa. O que queremos é estimular a produção local da PET ecológica", diz o diretor de Marketing da Coca-Cola Guararapes, Sérgio Vieira. Segundo ele, a PlanBottle é o primeiro passo para termos uma garrafa 100% reciclável. A produção no Brasil iria reduzir custos e disseminar a cultura das embalagens ecológicas. As garrafas de 500 ml equivalem a 25% de toda a produção da Coca-Cola Guararapes. A fábrica de Suape possui 3,2 mil colaboradores e atende a 61 mil pontos de venda do norte da Bahia à Paraíba.

A PlanBottle já vem sendo utilizada nos Estados Unidos, Japão, Austrália e Canadá. Na América Latina, o primeiro país a adotar a novidade é o Brasil. Além da fábrica de Suape, outras plantas franqueadas em estados como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais também estão adotando a PET ecológica. A troca integral está prevista para ocorrer até 2014. Já este ano, estima-se que a produção das garrafas vai resultar na redução de uso de mais de cinco mil barris de petróleo, a matéria-prima do PET.

O novo vasilhame é idêntico ao tradicional, sendo que a única coisa que a diferencia das demais é um selo impresso no rótulo. Lançada em 2009, a embalagem de 500 ml foi feita para ser consumida individualmente. Será que muda o sabor? Claro que não. A PlanBottle não muda as propriedades químicas da bebida, não altera cor, peso ou aparência em relação à PET tradicional. Além de ser 100% reciclável.

O processo de produção da PlanBottle envolve a fabricação do plástico PET a partir da reação química de dois componentes - MEG (monoetileno glicol), responsável por 30% do seu peso; e PTA (ácido politereftálico), responsável pelos 70% restantes. O lançamento da garrafa ocorre seguindo o espírito da Viva Positivamente, plataforma de sustentabilidade da Coca-Cola Company, e da campanha "Consumo consciente de embalagens", do Ministério do Meio Ambiente.

A plataforma Viva Positivamente foi criada em 1998, reunindo princípios, valores e definindo áreas de atuação prioritárias para garantir o avanço sustentável das operações da companhia. No campo das embalagens, a plataforma possibilitou a redução de peso entre 8% e 26% das garrafas PET, latas e embalagens de vidro. A garrafa KS Ultra, por exemplo, utiliza 25% menos vidro em seu processo de fabricação. Com menos vidro, a embalagem fica três centímetros menor e 100 gramas mais leve. Na logística, isso significa menos peso nos caminhões, menos espaço ocupado no estoque e maior resistência às quedas. Outra atitude inovadora da Coca-Cola foi reduzir a altura da tampa e do bocal das garrafas PET, possibilitando o uso de uma minitampa que também diminui o consumo da resina derivada de petróleo. 
Fonte: DP

sábado, 4 de setembro de 2010

Montadora inicia obras neste mês



As obras de terraplenagem da montadora de máquinas pesadas da chinesa XCMG devem começar nos próximos dias no Complexo Industrial Portuário de Suape. A licença prévia foi concedida pela Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH) na semana passada. A expectativa é a de que o empreendimento, que representa um investimento inicial de US$ 12 milhões (cerca de R$ 20,7 milhões), comece a operar em meados de 2011, podendo produzir 40 máquinas por mês e gerar até 150 empregos.


Linha de montagem da XCMG, em parceria com a Êxito Import & Export fará parte do polo Suape Global, voltado para as áreas de petróleo, gás, naval e offshore Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press - 28/9/05
A montadora, na verdade uma parceria da XCMG com a Êxito Import & Export, foi anunciada em julho do ano passado pelo governo do estado como mais uma empresa do polo Suape Global, voltado para as áreas de petróleo, gás, naval e offshore. Um mês antes, o presidente da XCMG, Sha Xian Lian, tinha saído de uma visita a Suape bastante impressionado. Ontem, executivos da companhia chinesa e da Êxito voltaram ao complexo e depois, em entrevista no Recife, revelaram mais detalhes sobreo projeto.

"A XCMG vai mandar as máquinas desmontadas da China e nós vamos montá-los nessa linha de montagem em Suape. Com o tempo, poderemos nacionalizar alguns equipamentos", adiantou o diretor de Comércio Exterior da Êxito, Rubens Azevedo. As carragadeiras e escavadeiras da XCMG, como as que serão montadas em Suape, utilizam motor Cummins e transmissão alemã ZF fabricados na China. Como esses componentes também são fabricados no Brasil, a ideia é incorporar os modelos nacionais.

A XCMG exporta 15% de sua produção para mais de 130 países. O vice-presidente da empresa, Xiang Yang Hu, explicou que o Brasil representa 2,5% das exportações, mas existe potencial para chegar a 4% já a partir do ano que vem. Para se ter uma ideia, cerca de 80% dos guindastes em operação em Suape são da XCMG. O problema é a distância. As máquinas demoram cerca de três meses para chegar. Com uma montadora funcionando em Suape, o prazo de entrega seria reduzido para 15 dias.

Na China, os principais produtos fabricados pela XCMG, a 10ª maior fábrica de máquinas e equipamentos para construção civil no mundo, são o caminhão-guindaste (nº 1 no mundo), compactadoras e equipamentos para terraplenagem e construção de rodovias. A produção é de aproximadamente 1,2 mil guindastes por mês, empregando 20 mil pessoas. "Estamos fazendo um esforço grande para nos internacionalizar e o Brasil faz parte desse plano", contou Xiang Yang.

Para fortalecer essa relação, a XCMG está implantando dois centros de distribuição de peças no Brasil - um em São Paulo e outro em Pernambuco. Cada um receberá investimentos de US$ 3 milhões (algo como R$ 5,2 milhões) somente em peças. O de Pernambuco deve começar a funcionar ainda este ano, num galpão próximo ao Porto do Recife, enquanto que o de São Paulo só em meados do ano que vem. Tanto interesse tem um motivo: as vendas vão de vento em popa. Em 2009, a Êxito, revendedor exclusivo desde 2007 no Brasil, vendeu 200 máquinas e prevê vender 350 este ano. 
Fonte: DP

Follow by Email