quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Projeto Suape Global será apresentado hoje


Criado em 2008 para fomentar a implantação de um polo de bens e serviços para as indústrias de petróleo, gás, naval e offshore em Pernambuco, o Projeto Suape Global será apresentado hoje a empresários, políticos e profissionais da imprensa, durante um workshop no auditório do Senai, no bairro de Santo Amaro. A abertura do evento, marcada para às 8h, será realizada pelo secretário Estadual de Desenvolvimento Econômico e presidente do Complexo de Suape, Fernando Bezerra Coelho.

As nove palestras realizadas ao longo do dia vão discutir as perspectivas para Suape num horizonte até 2030, levando em consideração temas como meio ambiente, recursos humanos e infraestrutura. A economista e sócia-diretora da Ceplan, Tânia Barcelar, vai falar sobre o desenvolvimento industrial do complexo, que hoje concentra 100 empreendimentos. Já o diretor da consultoria TGI, Francisco Cunha, vai traçar um mapa da demanda por mão de obra, considerada hoje um dos maiores gargalos para o Estado.

O workshop também vai servir para apresentar o esboço do novo Plano Diretor de Suape 2030, que será concluído até o final deste ano. O atual plano diretor do complexo foi elaborado em 1975 e tomou como referência as experiências dos portos de Marseille-Fos, na França, e de Kashima, no Japão. O projeto atual está sendo realizado pelo consórcio Planav-Projetec.

O plano diretor leva em consideração a ocupação social do Complexo de Suape, que conta hoje com uma população de cerca de 25 mil pessoas habitando o território do porto, distribuídas em 27 comunidades de moradores. O documento também faz uma projeção da movimentação de carga nos próximos anos, quando entrar em operação a Refinaria Abreu e Lima, e aponta alguns possíveis novos polos de investimentos que atracarão no porto.

Considerado o melhor porto do Brasil, Suape se destaca como o maior polo de atração de investimentos do Brasil na atualidade. O complexo tem realizado pesados investimentos em infraestrutura para garantir a chegada de empreendimentos estruturadores, a exemplo do Estaleiro Atlântico Sul, da Refinaria Abreu e Lima e da PetroquímicaSuape. O porto também está ampliando os números de cais e reforçando a infraestrutura viária.

Fonte: Jornal do Commercio

sábado, 21 de agosto de 2010

PE tenta atrair fábrica sul-coreana para Suape

Pernambuco pode receber mais uma fábrica no Complexo Industrial de Suape. Ontem, o governador Eduardo Campos e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Fernando Bezerra Coelho, receberam o presidente da sul-coreana Hyundai Equipamentos de Construção, fabricante de maquinários como escavadeiras, retroescavadeiras, empilhadeiras e pás carregadeiras. "Fizemos um sobrevoo e apresentamos a infraestrutura em Suape. O governo está oferecendo incentivos do Programa de Desenvolvimento de Pernambuco (Prodepe) e a estrutura de Suape, que hoje é o melhor porto público do País", disse Bezerra Coelho.


A implantação da unidade fabril está sendo disputada pelo Rio de Janeiro e por São Paulo e agora Pernambuco entra na concorrência. "Temos a oportunidade de concentrar as importações do Nordeste pelo Porto de Suape e atender a Hyundai para iniciar a fabricação de equipamentos no Brasil", destacou Bezerra Coelho. A decisão será divulgada em 30 de setembro. A fábrica deve ficar pronta em um ano, gerando mil empregos diretos.

A capacidade de produção da Hyundai é seis mil escavadeiras por mês. Por ano, exporta dois mil equipamentos para o Brasil; 500 para o Nordeste. "As exportações para o Brasil são maiores que para os EUA, próximas aos 5% da produção global. A expectativa é de que, com a implatação no Brasil, esse número chegue aos 10%", disse o presidente da Hyundai, John Lim. Serão investidos US$ 50 milhões para a primeira etapa de implantação da fábrica, a linha de montagem de maquinários com componentes importados. Na segunda etapa, quando for agregada a produção local de componentes, serão investidos US$ 150 milhões.

REFINARIA
O edital para execução das obras das vias de acesso (retorno 2 e acessos rodoviários) à Refinaria Abreu e Lima foi novamente adiado. Segundo o diretor de Engenharia e Meio Ambiente de Suape, Ricardo Padilha, houve uma "inconsistência" na quantidade e nos preços unitários dos materiais entre o projeto e o termo de referência.


Fonte: Folha de Pernambuco

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Novo horizonte para o ensino técnico

Governo estadual anunciou a construção de 11 escolas, abrindo portas para mais de 7 mil alunos

A estudante Aline Araújo Chagas, 17 anos, traçou uma meta profissional ousada para o futuro. Ela pretende trabalhar na zona de processamento e exportação de Prazeres, no município onde mora, Jaboatão dos Guararapes. O local vai abarcar os carregamentos que serão enviados do Complexo de Suape até a Região Metropolitana do Recife. Para isso, matriculou-se na Escola Técnica Estadual Maximiano Accioly Campos, em Jaboatão Centro, inaugurada em fevereiro deste ano. Lá, assiste aulas do ensino médio e do curso técnico de logística em período integral. Aline tem certeza de que vai alcançar seu objetivo. Assim como ela, outros 7 mil jovens terão a chance de sonhar alto a partir de 2012 por meio do ensino técnico, muitas vezes a maior oportunidade dada a um adolescente da rede pública. Ontem a Secretaria de Educação do Estado (SEE) anunciou a construção de 11 escolas técnicas a partir de dezembro deste ano. O edital será publicado hoje no Diário Oficial.

A expectativa é de que as obras sejam finalizadas em um ano. Isso significa que as aulas devem começar a partir do ano letivo de 2012. As unidades serão instaladas nos municípios de Lajedo, Araripina, Bezerros, Bonito, Carnaíba, Gravatá, Santa Cruz do Capibaribe, São José do Egito, Igarassu, Camaragibe e Olinda. As construções custarão cerca de R$ 60 milhões. O valor para cada unidade está em torno de R$ 5,4 milhões. Os recursos foram assegurados pelo Ministério da Educação, por meio do programa de ação articulada (PAR), que também envolve a participação dos governos municipais. O terreno para a construção dessas novas áreas de ensino técnico foi cedido pelas prefeituras. Cada escola vai ofertar dois cursos profissinalizantes, definidos após um levantamento realizado na região, levando em conta as potencialidades e vocações econômicas da cidade.

Para cada escola técnica nova serão oferecidas 640 vagas, sendo 160 no ensino médio integrado (com aulas do ensino médio e do curso profissionalizante), e 480 nos cursos subsequentes(voltados para quem já concluiu o ensino médio e busca a profissionalização em um ano e meio). As escolas terão: 12 salas de aula, seis laboratórios de ensino médio, dois laboratórios profissionalizantes, auditório, biblioteca, quadra poliesportiva, anfiteatro, refeitório e cantina. Só neste ano foram inauguradas outras sete escolas técnicas nas cidades de Goiana, Timbaúba, Carpina, Limoeiro, Surubim, Sertânia e Jaboatão dos Guararapes, lugar onde fica a escola de Aline Chagas.

"A escola técnica é uma referência para o mercado de trabalho. Não pensei duas vezes na hora de me inscrever para entrar aqui. Em outra escola, acho que não teria tantas oportunidades quanto tenho aqui. Meu objetivo é trabalhar na logística de Suape", afirmou a estudante, com a eloquência típica dos vencedores. Segundo o secretário de Educação do estado, Nilton Mota, existe um plano de governo que prevê a instalação de escolas técnicas nas cidades pernambucanas que tiverem mais de 40 mil habitantes. O ensino integral, com aulas nos dois turnos, será a meta. "Estamos avaliando em quais cidades vamos implantar outras escolas. Mas, por enquanto, vamos nos concentrar na construção destas 11 unidades em dezembro", garantiu. De acordo com dados do Ministério do Trabalho, a chance de empregabilidade dos estudantes que obtêm o diploma do ensino técnico é de quase 100%.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Suape pode ganhar uma montadora chinesa

O Porto de Suape poderá captar uma primeira montadora para reforçar o polo automotivo em implantação no complexo. Ontem, executivos de um grupo chinês estiveram em Pernambuco para conhecer a política de incentivos fiscais para o setor, a infraestrutura logística e a disponibilidade de mão de obra. A proposta é implantar uma montadora de vans e veículos utilitários. O vice-presidente de Suape, Sidnei Aires, não adiantou o nome nem o valor do empreendimento, atendendo ao pedido de sigilo dos investidores.
"O grupo de consultores passou o dia (de ontem) em Suape para conhecer a estrutura do complexo. A expectativa é que eles retornem em agosto e definam a localização da montadora até dezembro deste ano", adianta Aires, dizendo que os investidores assinaram protocolo de intenções com outros três Estados. O vice-presidente de Suape lembra que um dos atrativos de Pernambuco é a política de incentivos fiscais específica para o setor, criada em 2008 que, dentre os benefícios, oferece rebatimento de 95% do ICMS. Aires diz que a montadora chinesa vai precisar de um terreno de 100 hectares.

Suape já conta com uma central de importação de veículos da General Motors, que começou a operar este ano, além do anúncio de implantação de uma montadora de motos da também chinesa Shineray. O Estado também figura na lista de opções da Chery para sediar uma montadora do chupo chinês no Brasil.

A proposta do governo do Estado também é atrair fornecedores da cadeia automotiva. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico vem tentando captar fábricas de pneus e de acessórios. A Unimetal, que está construindo uma fábrica no município de Timbaúba, vai produzir cinto de segurança e forros para bancos de veículos e a nova unidade da Companhia Industrial de Vidros está investindo na construção de uma unidade para a fabricação de vidros planos, que poderá atender aos setores de construção civil e automotivo.

Fonte: Jornal do Commercio
 

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Suape pode ganhar nova termelétrica

Grupo paulista Bertin estuda investir US$ 1,5 bilhão na implantação de uma usina, gerando cerca de 300 empregos diretos.

O Complexo Industrial Portuário de Suape poderá ganhar uma terceira usina termelétrica. O grupo paulista Bertin tem interesse em instalar em Pernambuco um empreendimento com capacidade de gerar 1.450 megawatts (MW) e investimento de aproximadamente US$ 1,5 bilhão. A expectativa é a de que o projeto, que ainda está sendo analisado pelas áreas de infraestrutura, meio ambiente e fiscal do governo do estado, possa gerar cerca de 300 empregos.
Administração de Suape ainda está definindo a localização, que provavelmente será próxima ao parque de tancagem. Empresa solicitou 100 hectares. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press – 28/12/07
"Pernambuco está se tornando um importante polo gerador de energia termelétrica do Brasil. Pequeno, mas expressivo. Possivelmente, estaremos assinando o protocolo com o grupo Bertin nos próximos dez dias", revelou ontem o secretário de Desenvolvimento Econômico e presidente de Suape, Fernando Bezerra Coelho, durante a 71ª reunião do Conselho Estadual de Política Industrial, Comercial e de Serviços (Condic). O evento, excepcionalmente, ocorreu no Centro de Convenções.

Segundo Bezerra Coelho, a administração do complexo ainda está definindo a localização da usina, que provavelmente será próxima ao parque de tancagem. A área solicitada é de 100 hectares. O presidente da Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (AD Diper), Jenner Guimarães, disse que o grupo venceu licitação para implantar cinco termelétricas na área que vai de Sergipe ao Rio Grande do Norte e decidiu concentrar tudo num único estado. Teria optado por Pernambuco.

"A gente vem negociando há algum tempo com o grupo Bertin. Atraímos aquela fábrica de equipamentos de proteção individual (EPIs) para Bonito e depois outra para Palmares. Oferecemos Suape para abrigar a termelétrica e eles gostaram", acrescentou. Em Bonito e em Palmares, os investimentos estão sendo feitos pelo braço BSB. Em Bonito, são R$ 10 milhões de investimento, gerando 600 empregos. Em Palmares, são mais R$ 30 milhões, com expectativa de contratar 700 funcionários.

O Grupo Bertin está no mercado há mais de 30 anos, atuando no setor agroindustrial. Os segmentos são os mais diversos possíveis – alimentos(Danúbio, Faixa Azul), agropecuária, EPI, higiene e beleza (Bio Briz), construção civil, biodiesel, concessões de rodovias e saneamento básico e energia. São 35 mil funcionários em 40 unidades no Brasil e no exterior.

A Bertin também participa da Companhia de Infra-Estrutura Bertin Equipav (Cibe), tendo a Petrobras como sócia. A Cibe está implantando em Suape a Energética Suape II, térmica a diesel com 350 MW de capacidade, devendo começar a funcionar em janeiro de 2012. A expectativa é a de que sejam gerados 600 postos de trabalho na construção e mais 470 na operação, sendo 120 diretos. A construção está a cargo do grupo finlandês Wärtsilä. A primeira termelétrica de Suape, a TermoPE, pertence ao grupo Neoenergia (o mesmo que controla a Celpe) e entrou em operação em 2004, com capacidade para gerar até 532 MW médios. Funciona a gás natural.

Follow by Email