sábado, 12 de junho de 2010

Empreendimentos aquecem importações pernambucanas

Indicador de janeiro a maio atinge quase o dobro do número registrado no mesmo período do ano passado


 

As importações de Pernambuco dispararam este ano, na esteira dos grandes empreendimentos que vêm tomando conta do estado, como a consolidação do Complexo Industrial Portuário de Suape e a construção da ferrovia Transnordestina. O conjunto de empresas instaladas em Suape, como a M&G, a Refinaria Abreu e Lima e o Estaleiro Atlântico Sul, foi responsável por mais de 40% do total de importações pernambucanas entre janeiro e maio de 2010, que já atinge um acumulado de aproximadamente US$ 1,1 bilhão (R$ 1,98 bilhão), de acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic). É quase o dobro do que havia sido importado no mesmo período em 2009, que totalizou cerca de R$ 600 milhões (aproximadamente R$ 1 bilhão).


Empreendimentos como M&G, instalado no Complexo de Suape, contribuíram para ampliar as importações Foto: Júlio Jacobina/DP/D.A Press - 24/1/07
Maio fechou com US$ 215 milhões em importações para Pernambuco, segundo os números divulgados pelo Mdic, contra US$ 139 milhões registrados durante o mesmo mês em 2009. Não chegou perto dos números de abril, que terminou com US$ 280 milhões importados. Mas consolida o crescimento noano das importações, que vêm suprir as necessidades de equipamentos e matérias-primas para os empreendimentos de grande porte já instalados no estado. Em compensação, as exportações ficaram em US$ 69 milhões. Essa diferença resultou em uma balança comercial negativa de aproximadamente US$ 145 milhões (R$ 263 milhões).

Como destaques entre as empresas que mais importaram nesse fechamento dos cinco primeiros meses em Pernambuco, estão a Transnordestina Logística S.A., responsável pela construção da ferrovia, e a Refinaria Abreu e Lima. Ambas não constavam da lista de principais importadoras no período de janeiro a maio de 2009, e agora passaram a ocupar lugares entre as 15 mais importantes dessa área. A primeira comprou de fornecedores do exterior US$ 24 milhões, sendo responsável por 2,20% da soma de todas as importações do estado, enquanto a Refinaria adquiriu US$ 16 milhões e ficou com 1,48% do total de Pernambuco.

Com a consolidação do Porto de Suape, o município de Ipojuca também vem concentrando as atividades de importação do estado. Em maio, foi um dos municípios brasileiros que mais compraram do exterior. Ficou em 33º em todo o país, com um total de US$ 511 milhões. Ipojuca ainda movimentou US$ 98 milhões em exportações, gerando uma corrente de comércio externo de mais de US$ 600 milhões no acumulado do ano. Mais do que um terço do total do estado, que chegou a aproximadamente US$ 1,5 bilhão.

Os três principais países de onde vieram as importações de Pernambuco durante os cinco primeiros meses de 2010 foram Estados Unidos, Argentina e China, responsáveis por, respectivamente, 17%, 15% e 12% do total comprado pelo estado no exterior. Entre os principais produtos importados pelas empresas pernambucanas, estava matéria prima para a indústria de garrafas PET e de alimentos. Máquinas e produtos de consumo direto tiveram menor importância na lista de importações do estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email