sábado, 24 de abril de 2010

O primeiro navio construído em Pernambuco deve ia ao mar no próximo dia 3 de maio

Cerca de 1,3 mil funcionários do Estaleiro Atlântico Sul trabalham na construção do navio, batizado de João Cândido; ele será capaz de transportar um milhão de barris de petróleo.


Batizado de João Cândido, ele movimenta em seu trabalho de finalização cerca de 1,3 mil funcionários do Estaleiro Atlântico Sul, em Suape. O serviço é realizado no dique seco, uma área de 12 metros de profundidade, 412 de extensão e 73 metros de largura. 

O João Cândido possui 160 mil toneladas, 266 metros de comprimento e terá capacidade para transportar um milhão de barris de petróleo. Este é o primeiro de uma série de 22 navios encomendados ao estaleiro pela Transpetro, uma empresa da Petrobras que faz o transporte de petróleo brasileiro para diversas partes do mundo. 

O presidente do Atlântico Sul, Ângelo Bellelis, considera o momento um marco para o fortalecimento da indústria naval brasileira: "o Brasil já foi o seguido principal produtor de navios na década de 70. Depois perdeu muitas posições e agora estamos retomando a indústria naval brasileira. O estaleiro está entregando o primeiro navio do programa de modernização e expansão da frota da Transpetro. Acho que é um símbolo, pois a indústria do setor está renascendo"

24 horas antes do lançamento ao mar do navio, a comporta que impede que o dique seco seja inundado será aberta para que o petroleiro flutue e seja levado ao cais externo, onde as obras serão finalizadas.

JOÃO CÂNDIDO
O navio foi batizado em homenagem a João Cândido, conhecido como o Almirante Negro. Ele foi líder da Revolta da Chibata, que ocorreu no Rio de Janeiro no início do século XX e era contra os castigos físicos impostos aos marinheiros brasileiros.

João Cândido foi preso e expulso da Marinha, mas a luta dele foi vitoriosa e os castigos, como chicotadas, por exemplo, deixaram de ser praticados na Marinha do Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email