quarta-feira, 31 de março de 2010

Campari dobra planta em Suape

Campari dobra planta em Suape

Depois de atrasar em cerca de um ano o início da operação, a indústria de bebidas Campari decidiu praticamente dobrar a planta que está sendo erguida no Complexo Industrial Portuário de Suape. A área construída vai ser duas vezes maior do que o previsto inicialmente, passando de 16 mil para 32 mil metros quadrados. O valor do investimento vai pular de R$ 66 milhões para R$ 120 milhões, gerando 70 empregos diretos. A pedra fundamental do empreendimento foi lançada em setembro de 2008 e a expectativa era a de que entrasse em funcionamento em outubro de 2009. Agora, a nova data é novembro de 2010.


Pedra fundamental da fábrica foi lançada em setembro de 2008 na presença do presidente Paolo Perego e do governador Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press - 25/9/08
Segundo o presidente da Campari do Brasil, Paolo Perego, o atraso ocorreu devido às chuvas, que teriam atrapalhado a construção. Mas a crise financeira internacional também pode ter adiado os planos da companhia. "Também decidimos aplicar nessa fábrica outros processos produtivos. Antes, a ideia era apenas envasar as bebidas. Agora vamos fazer a infusão do Campari e amistura do Old Eight", exemplificou o executivo, acrescentando que 90% dos insumos, como garrafas de vidro, tampas de plástico, rótulos e caixas de papelão, serão adquiridos localmente.

No Brasil, a empresa de origem italiana já possui unidade em Sorocaba (SP) e outra em em Jaboatão dos Guararapes. Mas esta última estaria funcionando no limite, por isso será desativada. O volume de bebida a ser processado na nova planta mais que quadruplicará, uma vez que a unidade terá capacidade para produzir cinco milhões de caixas de bebidas/ano. Parte dessa produção será exportada para países do norte da América do Sul, como Venezuela, Equador, Colômbia e Suriname. Além de Campari e Old Eight, a indústria também vai produzir Dreher.

Ontem, o Conselho Estadual de Política Industrial, Comercial e de Serviços (Condic), decidiu aprovar, entre outros, o pleito da Campari para alterar a data de início de fruição do incentivo fiscal concedido à empresa no âmbito do Programa de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (Prodepe),de outubro de 2009 para o mesmo mês de 2010.

O Condic aprovou ainda 28 projetos de indústrias, entre implantação, ampliação, pedidos de isonomia e de manutenção do poder competitivo, dos quais 54% no Interior do estado. Os investimentos somam R$ 431,39 milhões, com previsão de gerar 2.274 empregos. Entre os destaques estão uma fábrica têxtil em Arararipina (Aliança) e outra de minerais não-metálicos (Poste) em Pombos. Na Região Metropolitana, a novidade é uma fábrica de aparelhos celulares da Elo Digital (Camaragibe) e uma indústria de garrafas de plástico no Recife (Pisani). A 70ª reunião do Condic também aprovou seis projetos de importação, somando importações anuais previstas de R$ 154,9 milhões, e cinco centrais de distribuição que juntas vão gerar 168 empregos. 
Fonte: DP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email