domingo, 28 de fevereiro de 2010

Estaleiro virtual é bom, diz inglês

Uma das mais importantes revistas mundiais da indústria naval destaca Transpetro e seu presidente

O Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef), liderado pela Transpetro, braço logístico da Petrobras presidido pelo cearense Sérgio Machado, ganhou a capa e as páginas internas da Fairplay, uma das mais importantes publicações mundiais especializadas em indústria naval. Sob o título "Realidade Virtual - Sergio Machado e o renascimento da indústria naval brasileira" - a reportagem aborda o sucesso do Promef.

Segundo a Fairplay, o presidente da Transpetro é um "decision maker" (homem de decisão), que concretizou, com êxito o Promef. A revista salienta que o programa tem como um de seus fundamentos o conceito de "estaleiro virtual" - aquele que é criado e viabilizado em razão da escala obtida pelo volume de encomendas de navios.

A Fairplay informa que, no fim do próximo mês de março, será lançado ao mar, em Pernambuco, o primeiro petroleiro construído por um estaleiro que começou como virtual e - graças às encomendas da Transpetro - se tornou o maior do setor na América Latina; o Atlântico Sul, no Porto de Suape, em Pernambuco. "Será uma comemoração em alto estilo, com a presença dos big shots da República, a começar pelo Presidente Lula", diz a revista inglesa.

Para tornar-se o maior do continente latino-americano, o Estaleiro Atlântico Sul (EAS) foi, inicialmente, concebido de maneira literalmente virtual. Hoje, o EAS emprega alguns milhares de trabalhadores que foram treinados pelo Senai pernambucano para as diferentes tarefas próprias de uma indústria naval. Os aprendizes que eram analfabetos foram alfabetizados e, depois, matriculados em cursos normais do ensino primário, abertos especialmente pela Secretaria de Educação de Pernambuco para atendê-los.

"É exatamente isso o que se pretende para o Estaleiro Promar Ceará", diz o presidente da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece), Antonio Balhmann. O empreendimento, ainda virtual como foi o EAS, corre o risco de não ser instalado em território cearense, pois a prefeita Luizianne Lins e a Fiec são contra a sua localização na geografia da ponta do Mucuripe, no bairro Serviluz, em Fortaleza.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email