sábado, 31 de outubro de 2009

PetroquímicaSuape vai gerar 5.300 vagas


Os empregos serão abertos em março de 2010, quando a construção da companhia vai atingir o nível máximo. Hoje, 1.800 pessoas já trabalham no canteiro de obras do empreendimento em Suape

Cerca de 5.300 pessoas vão trabalhar nas obras da Companhia Petroquímica de Pernambuco (PetroquímicaSuape) em março do próximo ano, quando ocorrerá o pico das obras de implantação do empreendimento, formado por três plantas industriais, que vão produzir ácido tereftálico purificado (PTA), resina PET e fios de poliéster. Atualmente, cerca de 1.800 trabalhadores estão nos canteiros de obras da empresa, que está se implantando em Suape.

Essas pessoas vão trabalhar na montagem dos equipamentos e nas obras físicas. A cada chegada de equipamentos são contratadas mais pessoas para fazer a montagem do maquinário. No final deste mês, vão chegar o compressor, a turbina e o motor que serão implantados na fábrica de PTA. Eles foram produzidos na Alemanha por cerca de US$ 40 milhões.

A intenção da empresa é fazer os testes da fábrica de PTA no final de 2010. Isso significa que a construção da superestrutura da fábrica (que são as tubulações) será iniciada até o fim de 2009. A terraplenagem de toda a área deverá ser concluída até dezembro próximo.

INFRAESTRUTURA

A Petroquímica Suape faz parte do braço petroquímico da Petrobras e representa um investimento de cerca de R$ 4 bilhões. A companhia local começou a fechar contratos para garantir a sua infraestrutura, inclusive o armazenamento da matéria-prima. Serão construídos tanques para armazená-la na área da Transpetro, empresa que também pertence à Petrobras.

A Petroquímica também contratou um grupo privado que tem terminais em Suape para receber o monoetilenoglicol (MEG), um insumo que serve de matéria-prima para o PTA.

Também já foram iniciados os contatos com a Companhia Pernambucana de Gás (Copergás) para adquirir cerca de 150 mil metros cúbicos por dia de gás natural. A demanda da empresa seria de 350 mil metros cúbicos diários, mas não há disponibilidade do produto, segundo o diretor superintendente PetroquímicaSuape, Richard Ward.

A Petroquímica também deve fechar um contrato com a Compesa para adquirir 1 milhão de metros cúbicos de água por mês, que serão usados nas três plantas. O PTA é o insumo para produzir poliéster têxtil, a resina PET é destinada a fabricação de embalagens plásticas e os fios de poliéster serão usados na indústria têxtil.
Fonte: JC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email