sábado, 31 de outubro de 2009

Indiana de olho em Suape

Descoberta das novas reservas do pré-sal no Brasil desperta o interesse da Larsen, que poderá ser instalada em Pernambuco


A indiana Larsen & Toubro Group está de olho no Porto de Suape. A empresa, que é a maior da Índia no segmento de construção e engenharia pesada, produz equipamentos para diversos setores, entre eles, a indústria de petróleo e gás.


Porto de Suape seria local estratégico para abrigar empreendimento, em função de obras previstas para o complexo. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press - 28/12/07

A descoberta das novas reservas do pré-sal no Brasil despertou o interesse da empresa instalar uma fábrica no país e o complexo portuário e industrial pernambucano é um dos candidatos a receber o investimento. Segundo informações do mercado, a planta terá capacidade para empregar cerca de 400 pessoas. Hoje, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico terá uma reunião para decidir os incentivos a serem oferecidos à empresa. 

Um dos executivos da empresa, Rodney Pereira, é um dos palestrantes confirmados do Pernambuco Business 2009, um grande evento de negócio que reunirá a indústria de óleo, gás, offshore e naval, nos dias 27 e 28 de outubro, no auditório do JCPM. "Eles virão para o evento com a intenção de pegar mais informações sobre Suape e tomar a decisão sobre a localização do investimento", afirma Sonny Hansen, assessor da superintendência da Petroquímica Suape, que está intermediando a captação do investimento para Pernambuco. "Para nós, é muito interessante a vinda da L&T, porque ela fabrica alguns equipamentos que necessitamos na nossa fábrica e sendo produzido aqui no estado, terá um custo menor", acrescenta Hansen. 

A L&T também irá fornecer doze reatores que serão instalados na Refinaria Abreu e Lima. Além do mercado brasileiro, que tende a crescer com a descoberta de novas reservas no pré-sal, a construção de uma unidade em Suape facilitaria o acesso a outros países produtores, como a Venezuela, segundo Hansen. Hansen diz que há mais duas empresas, que também fornece equipamentos à Petroquímica, avaliando a construção de uma unidade em Suape. "Mas não podemos divulgar os nomes ainda", comenta. 

"Temos uma reunião hoje para tratar dessa empresa indiana", afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico, Fernando Bezerra Coelho. A atração desses investimentos faz parte do projeto Suape Global, lançado pelo governo do estado em dezembro passado e que pretende fazer do Pernambuco Business a sua vitrine. Desde então, já foram captadas 11 empresas ligadas à indústria naval e do petróleo. Juntas representam um investimento total de US$ 120 milhões, 2 mil empregos na construção, 4,5 mil diretos na operação e 2 mil indiretos. 


Fonte: DP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email