domingo, 27 de setembro de 2009

Compesa fornecerá 1,5 bilhão de m3 de água para refinaria em 2013

 

O novo cliente também vai gerar receita para a companhia, com um acréscimo de R$ 3 milhões já em 2010.

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) firmou contrato junto à Refinaria do Nordeste - Abreu e Lima para o fornecimento de água tratada e bruta. A refinaria está sendo instalada no Complexo Industrial de Suape, no município de Ipojuca, na Região Metropolitana do Recife. A demanda irá crescer de forma gradual e em 2013 irá atingir 70 m3 de água tratada e de 1,5 milhão de m3 ou seja 450 litros por segundo (l/s) de água bruta por mês. Este consumo equivale ao abastecimento de uma cidade de 150 mil habitantes, a exemplo de Garanhuns, no agreste. O novo cliente também vai gerar receita para a companhia, com um acréscimo de R$ 3 milhões já em 2010 e de R$ 9 milhões por ano, a partir de 2013, quando estiver em pleno consumo.

Com isto, a Refinaria Abreu e Lima passa a ser a maior consumidor de água da Compesa, posto que está ocupado atualmente pelo Estaleiro Atlântico Sul, para onde são fornecidos 150 mil m3 de água por mês, cerca de 45 l/s. A refinaria começa a receber água tratada em janeiro e água bruta em julho, mas atualmente já fornece água tratada em pouca quantidade para a empresa, que é utilizada em trabalhos no canteiro de obras. "Esse contrato significa o aumento de nossa responsabilidade em manter um sistema operacional seguro e eficiente para aquela atender aquela área economicamente estratégica para Pernambuco", comenta o secretário de Recursos Hídricos e presidente da Compesa, João Bosco de Almeida.

O contrato foi assinado nesta quarta-feira (23), pelo secretário João Bosco e pelo diretor corporativo da refinaria Abreu e Lima, João Batista Aquino, com a presença da presidente da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária – ABES, Cassilda Teixeira e de diretores da Compesa, em sala do Centro de Convenções, onde ocorre o 25º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária.

A refinaria será abastecida pelas barragens Bita e Utinga, que atualmente são responsáveis pela oferta de água no Complexo de Suape. Na cerimônia de assinatura do contrato, os diretores da Compesa fizeram uma apresentação sobre a atual produção de água e os principais aspectos dos sistemas produtores que abastecem a RMR e em especial para aquela região. Uma das ações mostradas prevê a implantação de ações que fazem com que em 2011 o sistema produtor de Suape será ampliado em cerca de 600 litros por segundo l/s, a partir de uma captação na Bacia do Rio Ipojuca, mas foram mostradas outras metas, que garante o aumento da oferta de água para aquela região em curto, médio e longo prazo. Para fechar o contrato, a Compesa criou tarifas diferenciadas, que também poderão ser utilizadas por outros clientes da mesma faixa de consumo. A refinaria começará pagando R$ 0,53 por m3 e o valor cairá para R$ 0,40 por m3 m 2013.

Essa é a primeira vez que a Petrobrás firma um contrato com uma concessionária de água, segundo João Aquino. "Nas outras refinarias instaladas em zonas rurais, mais isoladas, tivemos que implantar captação própria. Aqui contamos com toda a com uma infra-estrutura portuária adequada e com uma zona industrial estruturada", destacou o diretor. As obras de instalação da refinaria encontram-se atualmente em fase de conclusão da terraplanagem e chegada de equipamentos. Orçada em US$ 2,8 milhões, a refinaria deverá entrar em operação no segundo semestre de 2011, processando 200 mil barris de petróleo por dia, que atenderão todo o Norte e Nordeste. Os produtos gerados serão o diesel, gás de cozinha, nafta petroquímica, que é a matéria-prima para a produção de resinas plásticas. O maior gasto de água do empreendimento é com evaporação. "O petróleo é aquecido e depois resfriado. Pormais que seja melhor aproveitada a energia, tem grande perda de água com o resfriamento", conta João Aquino.

A Compesa é filiada à Associação das Empresas de Saneamento Básico Estaduais (Aesbe) que congrega outras 23 companhias de água e esgoto pelo País. [Site www.aesbe.org.br.]

A Associação das Empresas de Saneamento Básico Estaduais - Aesbe é uma entidade civil sem fins lucrativos, constituída por 24 Companhias Estaduais de Saneamento Básico. Essas empresas atendem 103 milhões de pessoas com abastecimento de água, em 3919 municípios. Também prestam serviços de esgotamento sanitário a 45 milhões de pessoas, em 893 municípios. A associação está em atividade desde 1985 e nos seus vinte e quatro anos de existência vem desenvolvendo ações voltadas às questões do saneamento básico, discutindo e apresentando matérias variadas aos diversos fóruns, visando a evolução do setor.
Fonte: Revista Fator.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email