quarta-feira, 15 de julho de 2009

Suape estuda abrir capital para empresas privadas

O segundo semestre deverá ser marcante para o Complexo Industrial Portuário de Suape. Está em curso uma operação para abrir o capital da zona portuária visando possíveis parceiros privados. Hoje, 100% desse capital é público. Na prática, seria a criação do Suape Holding. O complexo manteria o controle sobre outras empresas subsidiárias, que iriam prestar serviços de utilidade, a exemplo da água e da energia. Dessa forma, Suape teria lucro em cima dessas atividades, sem necessariamente precisar ser a produtora desses bens, agilizando e viabilizando a Central de Serviços.

O novo modelo de gestão para a área foi discutido na última segunda-feira com o governador Eduardo Campos. A informação é de que Campos ainda analisa com cautela essa possibilidade de abertura de capital para a iniciativa privada, mas teria sinalizado positivamente. De antemão, dá para precisar que a organização empresarial focada na imagem de uma holding deve dar a Suape o controle de um capital muito maior do que o seu, baseado nos empreendimentos que poderiam aportar no terreno. É vantagem também para as multinacionais que investem nesses acordos porque elas terminam prestando serviços em países onde a legislação fiscal é mais branda.

Atualmente, o controle da água está cedido à Compesa (Companhia Pernambucana de Saneamento) e a responsabilidade sobre a energia cabe à Celpe (Companhia Energética de Pernambuco). Com o novo formato, por exemplo, Suape ficaria cuidando da produção da água bruta para vendê-la. Não obstante, um ponto que está em estudo é a concessão rodoviária, pois esse modelo garantiria uma outra fonte de receita. Isso tudo além de assuntos como habitação, que ainda não foram avaliados detalhadamente com o governador.

Diante da preocupação em assegurar uma melhor produção discute-se a aquisição de pessoas especializadas em negócios e que saibam falar línguas estrangeiras, a exemplo do inglês. Nos desdobramentos desse assunto, uma medida foca a "independência" do vice-presidente de Suape. O detentor do cargo passaria a ser alguém com formação estritamente técnica, possuindo um mandato de seis anos para gerir a área. O período daria um alcance maior do que o tempo de administração dos governadores, abrindo caminho para indicações técnicas de servidores sem atrelamento aos governos.


ZPE
Eduardo Campos aprovou, ontem, a proposta de construção em Jaboatão dos Guararapes da primeira Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Estado. Em torno de 30 dias a ZPE Suape deverá estar sendo anunciada num ato conjunto, contando com a presença do governador.

 

Font: Folha de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email