quarta-feira, 22 de julho de 2009

Shineray vai construir uma montadora em Pernambuco

Sobre duas rodas, com investimento de R$ 40 milhões, a Shineray do Brasil vai construir uma fábrica em Suape. A planta terá 30 mil metros quadrados e será responsável pela montagem das 16 motos importadas da China pela empresa pernambucana. A inauguração está prevista para 2011. Serão gerados 300 empregos diretos.

O protocolo de intenções foi assinado pelo diretor executivo do importador, Paulo Perez, que está esperando da direção do complexo portuário a definição do local de instalação da fábrica. A Shineray se destaca no mercado com a moto de 50 cilindradas que custa R$ 2.790. Modelo que pode ser encontrado até mesmo em magazines. 

A fábrica contará com estrutura de laboratórios de tecnologia e emissões para aprimorar o desenvolvimento dos produtos. Cerca de 100 técnicos e engenheiros estarão envolvidos somente nessa fase da planta. Na área também será construída uma pista de testes exclusiva. 

Paulo Perez explicou que a atual operação de 30 mil motos por ano deverá ser multiplicada por quatro logo nos primeiros doze meses de funcionamento da fábrica. "Teremos capacidade de produção para 120 mil unidades e vamos exportar para outros mercados. A África, já podemos dar como certa na nossa rede de exportação".

O executivo apostou no complexo portuário, que já recebeu investimentos no segmento automobilístico da General Motors, com a central de distribuição pronta para entrar em operação até outubro. Sobre a Zona Franca de Manaus, Perez lembrou que nunca foi cogitada pelo grupo, que desde cedo assumiu o compromisso com a China de multiplicar os produtos Shineray no Brasil.

A empresa dá continuidade as reuniões dos projetos de infraestrutura e acerta detalhes com os fornecedores de peças nacionais. "No começo vamos trabalhar com o fornecimento das peças da China e aos poucos, em processo de desenvolvimento, utilizar os fornecedores nacionais. O objetivo é que eles se instalem futuramente em Suape, como acontece na maioria das operações fabris.

No Cabo de Santo Agostinho, a atual estrutura da Shineray, que conta com um armazém de distribuição de 10 mil metros quadrados, será substituída por uma central de peças das motos e quadriciclos comercializados pela marca.

A estrutura da Shineray no país também vai dobrar de tamanho. Hoje são 72 concessionárias, até o fim do ano, 90 e, em dezembro de 2010, entre 120 e 130 distribuidores. 

Magazines - A aposta nos magazines como concessionários ou pontos de venda já começou no Sul do Brasil. A rede de lojas Colombo está lançando a divisão de motos no ambiente dos magazines. Em Sergipe, a parceria já está em andamento com a rede G Barbosa e no mercado pernambucano, cadeias como Hermol, Eletroshopping e Lojas Maia já começaram a trabalhar com a moto de 50 cilindras.

Paulo Perez também reforça que o público alvo da Shineray está dentro dos ônibus. Ele argumenta que não é concorrente da Honda ou Yamaha. "Nosso foco é outro e vamos trabalhar cada vez mais esse produto reforçando a cinquentinha no modelo 2010". 
 
Fonte: Diário de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email