segunda-feira, 15 de junho de 2009

Fábrica de massas Estrela pode investir em Suape

O Complexo Industrial Portuário de Suape poderá ganhar mais uma indústria de produtos alimentícios. A Fábrica Estrela, do Ceará, está estudando a possibilidade de instalar no estado uma nova unidade. O governo ofereceu uma área entre oito e dez hectares, próximo ao moinho da Bunge. Por ser um negócio muito embrionário, não se calculou ainda volume de produção, o quanto poderá ser investido e quantos empregos poderão ser gerados com o projeto.

"Ainda não existe a decisão de investimento. Viemos ao Recife atendendo ao convite de um parceiro e vamos estudar se existe viabilidade econômica e financeira", declarou o diretor financeiro da Fábrica Estrela, José Carlos Timbó, que se reuniu ontem com o secretário estadual de desenvolvimento econômico, Fernando Bezerra Coelho, juntamente com o diretor comercial da empresa, Rui Brandão.

Segundo Timbó, uma resposta sobre a viabilidade do empreendimento poderia ser dada entre duas e três semanas. "Depois desse prazo, se for viável, voltaremos a conversar com o governo do estado e vamos tocar o projeto. Do contrário, agradeceremos o convite", disse. Sediada no Distrito Industrial de Maracanaú, a 35 quilômetros de Fortaleza, a Fábrica Estrela produz atualmente cerca de 8 mil toneladas/mês de massas e biscoitos.

No Ceará, a Fábrica Estrela produz diversos tipos de massas e biscoitos com as marcas Fábrica Estrela e Pelaggio, comercializadas em vários estados do Norte/Nordeste. A companhia nasceu como uma padaria, em 1946, fundada pelo português Pelágio de Oliveira Brandão. A mudança de padaria para indústria de alimentos ocorreu em 1986, com o surgimento da Pelágio Oliveira S/A e a nova sede em Maracanaú.

Os produtos com a marca Fábrica Estrela são tradicionais no segmento de massas e apresentam preços mais acessíveis. Já os da marca Pelaggio, focada no segmento de biscoitos (wafers e recheados, por exemplo), são mais sofisticados. Em Pernambuco, a companhia possui duas filiais, uma no Recife e outra em Petrolina.

RIP - Na quarta-feira, o governo do estado confirmou a vinda para Suape da RIP Prestação de Serviços Industriais, um investimento de R$ 6 milhões. Um dos diretores da empresa, Eduardo Salim Hamdan, esteve na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e assinou o contrato de venda de um terreno de 2,06 hectares em Suape, onde será implantada a nova filial. 

A RIP tem sede em São Paulo e é ligada ao grupo alemão Thyssen. Presta serviços de instalação e montagem industrial, além de fornecer materiais de isolamento térmico e acústico. A construção em Suape deverá ser iniciada em setembro deste ano, com previsão de término até dezembro. O empreendimento irá gerar 1,5 mil empregos diretos e 500 indiretos. Em Suape, a RIP está concorrendo para ser fornecedora do Estaleiro Atlântico Sul, Jaraguá e Construtora Norberto Odebrecht, entre outras. 
Fonte: Diário de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email