terça-feira, 26 de maio de 2009

Suape decide suspender licitação de novo acesso

Suape decide suspender licitação de novo acesso

Publicado em 22.05.2009, às 08h09

Do Jornal do Commercio

A licitação para fazer o acesso à Ilha de Tatuoca foi suspensa pela administração do Porto de Suape por tempo indeterminado. A obra é importante porque vai fazer a via definitiva de ligação de Suape ao Estaleiro Atlântico Sul (EAS), que hoje já funciona com 2.200 funcionários. Atualmente, existem dois acessos provisórios e a situação é desconfortável porque um dos acessos é mão única, provocando congestionamento em alguns horários.

Além dos funcionários do EAS, também passam diariamente pelo local os 6 mil trabalhadores contratados por empreiteiras que estão construindo as novas etapas do estaleiro. Da licitação que foi cancelada, a etapa final estava prevista para anteontem, com a entrega das propostas pelas empresas interessadas. No entanto, a própria administração de Suape decidiu modificar algumas especificações técnicas do projeto executivo que alterariam, consequentemente, a obra.

"Resolvemos dirimir algumas dúvidas e afastar qualquer possibilidade de contestação da licitação", disse o diretor de Engenharia e Meio Ambiente de Suape, Ricardo Padilha. A expectativa dele é que todas essas dúvidas sejam sanadas em 15 dias e que depois ocorra o lançamento de um novo edital para fazer o acesso.

A obra tem valor estimado em R$ 81 milhões. Até junho do ano passado, o valor dessa obra era de R$ 54 milhões. "No local, o solo mole (expansivo) é constante e a tendência é que haja mais custos", explicou Ricardo Padilha. Nesse tipo de terreno é necessário ampliar o aterro e isso faz a obra ficar mais cara.

O local por onde passa o acesso provisório para carros de passeio deve ser transformado em área de navegação no futuro. "Esse local é estratégico para o crescimento de Suape. Quando fizeram esse acesso provisório acreditavam que só começariam a explorar as áreas próximas com 25 anos. No entanto, Suape está crescendo num ritmo acelerado", explicou Padilha.

PROBLEMAS


O acesso provisório foi feito na administração anterior para atender a demanda do estaleiro. No entanto, ele apresentou problemas por ter sido montado numa área de mangue que não permite o transporte pesado de cargas.

A obra também é importante porque ocorrerá um aumento na quantidade de pessoas que vão trabalhar no EAS até o próximo ano. Até o final de 2009, a expectativa é que 4 mil pessoas estejam trabalhando no estaleiro, que deverá ter 5 mil funcionários em dezembro de 2010.


--
Valter Barreto
81 8842-1455
"A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás, mas só pode ser vivida olhando-se para frente." Soren Kierbegaard.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email