sexta-feira, 1 de maio de 2015

Porto de Suape movimenta 5 milhões de toneladas de cargas no primeiro trimestre




A movimentação de cargas no Porto de Suape chegou ao recorde de 5 milhões de toneladas no primeiro trimestre deste ano.
A marca é 32,7% maior que o total registrado no mesmo período de 2014, quando circularam 3,78 milhões de toneladas de cargas. O mês de março teve a maior movimentação do período, com cerca de 1,81 milhão, e é o novo recorde mensal, com crescimento de 49% em relação a março do ano passado e 11% a fevereiro deste ano, que era o recorde até então, com 1,63 milhão de toneladas.
Entre as cargas movimentadas, os granéis líquidos (combustíveis, álcoois, óleos, gases e produtos químicos) foram os responsáveis pelo grande aumento, já que registraram o crescimento de 59% em relação aos três primeiros meses de 2014.
Este ano, passaram pelo Porto de Suape 3,56 milhões de toneladas de granéis líquidos, contra 2,24 milhões do ano passado. Se compararmos apenas os meses de março, a movimentação de granéis líquidos, em 2015, foi 92% superior a 2014. Dentre essas mercadorias, destacam-se óleo diesel (960 mil t), óleo combustível (737 mil t), óleos brutos (560 mil t) e querosene de aviação (328 mil t).
As cargas conteinerizadas somaram 1,12 milhão de toneladas ou 101 mil TEUs (unidade de contêiner de 20 pés); os granéis sólidos, 249 mil toneladas, e carga geral solta 55 mil toneladas.
Com relação às cargas transportadas por cabotagem, que é a navegação costeira entre os portos de um mesmo país, Suape registrou um aumento de 53% neste tipo de navegação. Os embarques e desembarques de cabotagem neste trimestre somaram 3,15 milhões de toneladas, contra 2,06 milhões em 2014. A navegação de longo curso (importação e exportação) também cresceu e fechou o trimestre com alta de 26,2%. Quanto ao fluxo de navios, o porto recebeu 385 embarcações, 28 a mais que os três primeiros meses de 2014.
No ano passado, Suape movimentou 15,2 milhões de toneladas de cargas e 418 mil TEUs, sendo o principal porto em movimentação de contêineres do Norte e Nordeste. Entre as mercadorias que passaram por Suape em 2014, destacaram-se óleo diesel (17%), GLP (16,6%), óleo combustível (9,2%) e gasolina (5,7%), além das cargas transportadas por contêineres que representaram 30,8% da movimentação.
Balanço – Nesta quinta-feira, a administração do Complexo Industrial Portuário de Suape divulgou o balanço patrimonial de 2014 no Diário Oficial do Estado de Pernambuco. No ano passado, o faturamento do porto foi de R$ 112,5 milhões, o que representa um crescimento de 27,11% em relação a 2013, que tinha registrado R$ 88,5 milhões.
No faturamento, são contabilizados os pagamentos provenientes dos arrendamentos, das tarifas portuárias e dos aluguéis. O lucro líquido do exercício de 2014 foi de R$ 9,44 milhões, superior ao de 2013 em 7,63%, que tinha sido de R$ 8,77 milhões.
Fonte: Blog do Jamildo.

sábado, 25 de abril de 2015

Licitação do lote 2 do Arco Metropolitano mais perto de sair do papel





A licitação para o lote 2 do Arco Metropolitano parece estar mais perto de sair do papel. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) entr[TEXTO]egou, esta semana, à Agência Pernambucana de Meio Ambiente (CPRH) as informações que estavam faltando para concluir a análise do licenciamento ambiental desse trecho da obra, que vai ligar Suape a São Lourenço da Mata. No meio político, a expectativa é de que a presidente da República, Dilma Rousseff (PT), lance o edital para a contratação de obras do lote 2 na visita que fará a Pernambuco para a inauguração da montadora da Jeep na próxima terça-feira.O Arco Metropolitano é fundamental para melhorar a mobilidade do Grande Recife, porque vai implantar uma alça viária ligando Suape, no Litoral Sul, a Goiana, na Mata Norte, sem passar pelos congestionamentos frequentes da BR-101.


http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/economia/pernambuco/noticia/2015/04/25/licitacao-do-lote-2-do-arco-metropolitano-mais-perto-de-sair-do-papel-178320.php

Fonte: JCOnline

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Pernambuco começa a produzir gasolina em Suape nesta segunda





Em busca da autossuficiência na produção de gasolina em Pernambuco, a empresa italiana Decal, prestadora de serviços da Petrobras, inicia a produção do combustível na próxima segunda-feira (27), no Complexo Portuário de Suape, em Ipojuca, Grande Recife.
A Decal recebe a matéria-prima – no caso o nafta – da estatal, que importa o produto, faz a mistura dos produtos e a gasolina retorna a Petrobras.
No bojo dos escândalos da Operação Lava Jato e com o rombo de quase R$ 21,6 bilhões em 2014, segundo balanço financeiro divulgado nesta quarta-feira (23), a Petrobras tem  a intenção de buscar a independência do mercado externo, deixando de comprar gasolina importada, e otimizar a logística do fornecimento para o mercado.
No primeiro momento, a Decal vai produzir 20 mil metros cúbicos do combustível por mês, com previsão de chegar até 100 mil metros cúbicos. A produção deve abastecer o mercado local e pode ser destinada aos demais consumidores do Norte e Nordeste.
O gerente geral da Decal, Jorge Lemos, explicou que, após a formulação, a gasolina sairá dos tanques para o mercado consumidor via dutovia, passando por outros terminais de armazenamento de líquidos do Porto de Suape.
Quanto ao investimento da Petrobras na empresa, Jorge Lemos explica que a busca pela autossuficiência é uma resposta à crise financeira que a estatal enfrenta.
“Isso mostra que petrolífera não está parada. Ela está se mexendo e buscando soluções. A nossa produção não vai atender todo o déficit do produto no país, mas é um avanço. Outras empresas também devem se interessar. É uma independência do mercado externo”, comentou o representante da empresa italiana.
A Decal é o único terminal de combustíveis do País autorizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustível (ANP) a realizar a fabricação de gasolina, e, no Brasil, o grupo só possui unidade em Suape. A empresa é responsável pela mistura, o “blending”, que dá origem à gasolina do tipo A, sem a presença de álcool.
O primeiro lote do combustível deve sair para o mercado pernambucano no início de maio, após certificação expedida por laboratório e de acordo os padrões estabelecidos pela ANP.
A agência emitiu autorização em dezembro do ano passado, permitindo que a empresa produza até 3,3 mil metros cúbicos de gasolina tipo A (sem álcool anidro) por dia, a partir do processo conhecido como formulação, que consiste na mistura de hidrocarbonetos (composto orgânico) para produzir derivados de petróleo. Todo o processo acontece em tanques específicos, instalados no terminal da Decal, em Suape.
Nos últimos dias, a Decal recebeu as primeiras cargas de nafta, matéria-prima utilizada na formulação da gasolina.
A produção de gasolina em Suape é um marco nas atividades portuárias que envolvem os granéis líquidos (álcoois, gases, petróleo e seus derivados) no Porto.
“Desde 1985, quando o parque de tancagem do Porto do Recife foi transferido para cá, os combustíveis que abastecem o mercado local chegam por Suape. 69% da nossa movimentação de cargas no primeiro bimestre deste ano correspondeu aos granéis líquidos. Isso representa mais de 2,19 milhões de toneladas e um crescimento de 43% em relação aos dois primeiros meses de 2014”, explicou Paulo Coimbra, diretor de Gestão Portuária de Suape.
A unidade da Decal em Suape tem capacidade para armazenar 156 mil metros cúbicos de combustíveis nos 12 tanques que possui. Além da gasolina, a ANP também autorizou a produção de diesel nos mesmos moldes e limites. O terminal iniciou suas operações em 2005.
Em operação desde 2005, a empresa emprega 41 funcionários. Segundo Lemos, R$ 85 milhões foram investidos nesta primeira fase. A empresa pretende ampliar a operação para 400 mil metros cúbicos. O investimento, que depende de aprovação da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) será de R$ 250 milhões.
Fonte: Blog do Jamildo

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Volta ao Blog

Prezados Amigos,

Após longo período de inatividade, volto ao blog PortoDeSuape, num ambiente bem diferente daquele que me motivou a criá-lo. A grande promessa de Suape com a implantação do seu principal empreendimento, a refinaria Abreu e Lima, fez-me sentir vontade e motivação de participar desse grande processo de mudança em andamento no estado de Pernambuco. Embora Suape ainda seja uma das maiores processas econômicas do país, a queda nas atividades das empresas é visível, principalmente naquelas ligadas à Petrobras. O governo de Pernambuco tem se esforçado para trazer novos investimentos para o pólo industrial. Acredito que após esta tempestade de corrupção que assola nosso país, a economia tornará a crescer e Suape continuará como protagonista do crescimento brasileiro. Um grande abraço.

Valter Barreto
valterbarreto@microbytecnologia.com.br


quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Four Seasons Hotels terá duas unidades no Brasil

A Iron House Real Estate, empresa do Grupo Cornélio Brennand, anuncia a assinatura de carta de intenções com a operadora hoteleira canadense Four Seasons Hotels and Resorts. Com a parceria, a Iron House será a responsável pela implantação de dois hotéis de categoria luxury internacional, a serem implantados em São Paulo e Pernambuco.
Estes serão os primeiros hotéis com a bandeira Four Seasons no País. "É uma grande satisfação para nós termos o Grupo Cornélio Brennand como nossos primeiros parceiros no Brasil. Sua tradição de empreendedorismo, solidez empresarial e busca constante pela excelência estão completamente alinhados à visão de parceria de longo prazo que tem norteado o crescimento da Four Seasons ao longo de 50 anos de existência", destaca Alinio Azevedo Neto, Diretor de Desenvolvimento para a América Latina e Caribe da Four Seasons Hotels and Resorts.
Em São Paulo, o hotel será integrado ao Parque da Cidade, um complexo multiuso composto de edifícios corporativos, residenciais e shopping center, com um parque linear de 62mil m2. Lançado recentemente pela Odebrecht Realizações, o Parque da Cidade está localizado na zona sul da capital paulista, com frente para a Marginal Pinheiros. O hotel, com inauguração prevista para o primeiro trimestre de 2016, terá 240 suítes. "Será um empreendimento de altíssimo padrão, inédito no País, com uma bandeira conceituada mundialmente no segmento de luxo. Um ganho para a cidade", comenta Ruy Rego, presidente da Iron House.
Já em Pernambuco, também será inaugurado em 2016, um resort urbano com 153 suítes, que ficará localizado na Reserva do Paiva, bairro planejado situado no litoral sul da região metropolitana do Recife, em desenvolvimento pela Odebrecht Realizações. O local escolhido fica a apenas 14km do aeroporto internacional e a 15km do Complexo Industrial de Suape, em uma área que compreende 8,5km de praias paradisíacas e 450 hectares de Mata Atlântica. O hotel será implantado ao lado de um campo de golfe de padrão internacional, com assinatura de Greg Norman.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Governo estadual firma contrato com o BNDES de R$ 920,3 milhões para investir em Suape

O Complexo Industrial Portuário de Suape receberá R$ 920,3 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para implantação do Programa de Desenvolvimento da Infraestrutura de Áreas Portuárias. O contrato do financiamento foi assinado nesta terça-feira (23), após reunião do governador Eduardo Campos com o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, na sede da instituição, no Rio de Janeiro.

De acordo com a assessoria de comunicação do banco de fomento, o projeto contempla intervenções portuárias, rodoviárias, ferroviárias, retroportuárias e de pesquisa ambiental. Durante a fase de implantação, segundo informações do governo do estado, serão criados cerca de 2 mil novos postos de trabalho.

Para atração de investimentos e novos negócios, está prevista a terraplenagem, pavimentação, drenagem, iluminação viária e sinalização da zona industrial de Suape. O empréstimo  também será utilizado na construção de pontes, viadutos, pavimentação, sinalização e requalificação de vias.

Entre as obras previstas estão a duplicação do Tronco Distribuidor Rodoviário Norte (TDR-Norte) e a implantação do contorno do Cabo de Santo Agostinho (Via Expressa de Suape). O financiamento prevê, ainda, a implantação de veículo leve sobre trilhos (VLT) para transporte público de passageiros entre os terminais do Cajueiro Seco e do Cabo de Santo Agostinho (já existentes) até a Estação Rodoferroviária de Massangana (a ser recuperada) no complexo.

A expectativa é a de que sejam recuperados a linha férrea, construídas  novas estações, implantados  viadutos - um ferroviário e um rodoviário - e restaurada uma ponte. No porto, será reforçado o entroncamento de proteção do aterro. Os cabeços Norte e Sul da abertura dos arrecifes para acesso ao porto interno também receberão obras de proteção.

O porto interno terá áreas dragadas para a futura construção de mais quatro cais (6, 7, 8 e 9). O cais de múltiplos usos passará por uma recuperação estrutural. Também serão realizadas obras de dragagens  no cluster naval, possibilitando a instalação de novos estaleiros, segundo o governo.

A operação contempla ainda  a construção, em Suape, do Centro de Tecnologia Ambiental (CTA), um espaço voltado para o estudo, a pesquisa e o cuidado de áreas degradadas, formação de agentes ambientais e centro de produção de mudas com laboratório.

"O financiamento é fundamental para que possamos manter os empregos e acelerar investimentos para ampliar o movimento de cargas de Suape, viabilizar a indústria naval e a operação da refinaria Abreu e Lima", afirmou o governador em nota à imprensa.

Fonte: Diário de Pernambuco

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Estado perto de consolidar polo eólico em Suape

As apostas do Governo do Estado preveem que, em 12 meses, Pernambuco terá quatro fábricas de grande porte do setor de energia eólica instaladas no Complexo Industrial Portuário de Suape - a Impsa e a Gestamp, em operação, e a LM Wind Power e a Iraeta, já com terraplanagens concluídas. É nelas que está a matriz da consolidação do polo eólico planejado para o Estado, com toda grande cadeia que o setor é capaz de atrair. De acordo com o coordenador de Desenvolvimento de Negócios de Suape, Leonardo Cerquinho, há novas empresas que planejam instalar unidades de grande porte no Nordeste do Brasil, aportando em torno de R$ 300 milhões, e o Estado está "brigando" por elas. "Serão vários empreendimentos nesse tempo, seguramente mais de dez", comentou.

Foi com intuito principal de fortalecer mais essa cadeia em Pernambuco que o Complexo Industrial Portuário de Suape integrou-se, em agosto, à Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica). Dessa forma, consolida a mesma ideia que norteia o fórum Suape Global, cujo principal objetivo é fortalecer cadeias de fornecedores locais para que atendam às demandas das maiores empresas e identificar gargalos. "A gente busca se especializar e entrar no setor, para não ser pura e simplesmente um estado querendo atrair empreendimentos, mas ser parte dessa cadeia", explica Cerquinho. É nesse modelo que o Governo quer engrenar o setor eólico, como já fez com o setor naval.

No caso especifico da cadeia eólica, é necessário que os fabricantes de grandes peças estejam avizinhados, já que se trata de materiais de toneladas. "Estamos conversando de forma bastante avançada com uma empresa fornecedoras para as empresas de aerogeradores. Para eles, é importante estar dentro de Suape, justamente por causa do porte das peças. Mas, no final das contas, o que acontece em Suape é que o processo de desenvolvimento se dá de forma que somente empresas que têm necessidade de ficar lá que ficam", diz Cerquinho.

A Iraeta é um bom exemplo da formação de uma cadeia mais ampla, já que sua produção atende além do setor eólico. Segundo Cerquinho, a produção da nova fábrica também atenderá as indústrias naval e offshore. "Eles têm, então, a possibilidade de se inserir em duas cadeias produtivas que o Estado de Pernambuco e o Brasil estão querendo desenvolver. Ela vai produzir anéis de aço, que chamamos de flanges, que servem tanto para a parte de torres eólicas, quanto para a parte dos aerogeradores e para a indústria de naval e offshore".

Fonte: Folha de Pernambuco

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Volkswagen desembarca no Porto de Suape os primeiros carros vindos do México

Primeiro lote é de modelos Jetta e Jetta Variant; montadora decidiu usar o porto pernambucano para abastecer os mercados do Nordeste

A Volkswagen deu início à operação de desembarque de veículos vindos do porto de Veracruz, no México, pelo porto de Suape, em Pernambuco. O navio Apollon Leader, de bandeira panamenha, , trouxe o primeiro lote de 65 unidades do modelo Jetta fabricados na unidade mexicana. O objetivo é abastecer os mercados da região Nordeste do país, a exemplo do que vem ocorrendo já com veículos provenientes da Argentina. 

Os modelos que desembarcarão regularmente em Suape são o Jetta e o Jetta Variant (México) e o SpaceFox, Space Cross e Amarok produzidos na Argentina, na fábrica de General Pacheco.

Segundo o diretor de logística da Volkswagen, Orlando Moral, a utilização do Porto de Suape vai representar a redução do tempo de viagem de 15 para 10 dias para chegar ao Brasil, para distribuição na região Nordeste. A marca conta com 80 concessionárias na região.

O Porto de Suape é administrado pelo governo do estado de Pernambuco através da empresa Suape. Está localizado no litoral sul do Estado de Pernambuco, próximo à foz dos rios Tatuoca e Masangana, entre dois municípios, Cabo de Santo Agostinho e Pontal do Cupe, a 40 quilômetros de Recife.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Suape vai se transformar em um polo de fabricantes da energia eólica


Pernambuco não quer apenas abrigar parques geradores de energia. O Governo do Estado pretende transformar o Porto de Suape em um grande polo da cadeia eólica. O objetivo é reunir não só os fabricantes de aerogeradores, mas todos os fornecedores do setor. A ideia foi discutida, nesta segunda-feira (27), durante o Fórum Nordeste, no Arcádia do Paço Alfândega, no Bairro do Recife.

De acordo com o Secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Frederico Amâncio, que também é presidente do Porto de Suape, o momento pelo qual o mercado passa torna o projeto favorável. "Suape tem uma história que faz parte do processo de desenvolvimento. É um porto que tem a movimentação de biocombustível", afirma.

Ainda de acordo com Amâncio, Suape tem a melhor infraestrutura portuária do país. "Estamos no lugar certo e na hora certa. O mercado está demandando energia eólica e entendemos que temos a melhor estrutura." Ele também reforça que o programa fiscal será mais atrativo para as empresas. "Essa tarifa é 25% do valor do frete de importação. Para a indústria que tem um perfil de peças de grande porte como a eólica, essa isenção é representativa", explica.

"Cerca de 75% dos produtos gerados nos próximos dez anos serão produzidos no Nordeste. Ceará, Rio Grande do Norte e a Bahia serão os pioneiros, mas Pernambuco será incluído com o projeto", conclui.

Fonte: Folha de Pernambuco


Estado terá nova ferrovia



O novo trecho Recife-Salvador ligará várias capitais do Nordeste ao Sudeste do País, segundo o plano de investimentos
O Nordeste foi pouco contemplado pelo Programa de Investimentos em Logística. Dos nove trechos rodoviários a serem construídos, somente um está localizado na região. É a duplicação da BR-101 num trecho que vai do município baiano de Mucuri (nas proximidades de Porto Seguro) até o Porto de Salvador. Entre os 12 trechos ferroviários que serão implantados, três passam pela região. Serão construídas ferrovias ligando Salvador (BA) a Recife, Belo Horizonte (em Minas Gerais) a Salvador e um terceiro trecho que vai de Vila do Conde, no Pará, até Açailândia, no Maranhão.
É uma iniciativa importante para enfrentar gargalos históricos de nossa infraestrutura produtiva e para derrotar a crise que vem fazendo o País ter dois anos de baixo crescimento , afirmou o governador Eduardo Campos (PSB), que participou do lançamento do programa, em Brasília. Segundo ele, o trecho ferroviário Salvador-Recife vai se integrar à Ferrovia Transnordestina – que liga o Sertão ao litoral – e o pacote contempla ainda a realização de estudos visando à interligação da Transnordestina com a Ferrovia Norte-Sul, que vai sair do Pará e seguirá até São Paulo.
O presidente do conselho temático de Infraestrutura da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), Ricardo Essinger, também considerou positiva a iniciativa. É de fundamental importância para a indústria a ligação ferroviária com o Sudeste , disse. Para ele, o programa beneficiou muito as áreas mais industrializadas e os locais onde o agronegócio estava sofrendo por falta de logística, principalmente no Centro-Oeste e Sudeste.
A ferrovia Salvador-Recife vai fazer com que várias capitais da região passem a ter uma ligação ferroviária com o Sudeste. Atualmente, a única capital que tem ligação com trens que vêm do Sudeste é Salvador. A ferrovia que fazia esta ligação foi destruída no trecho entre Alagoas e Pernambuco em 2000, sendo operada pela antiga Companhia Ferroviária do Nordeste (CFN) que ganhou a concessão para oferecer o serviço ferroviário na região. A empresa demorou muito para refazer o trecho, o que só ocorreu em 2011, quando outra enchente destruiu o que foi refeito. A suspensão do serviço ferroviário Nordeste-Sudeste também trouxe mais custos para as empresas que traziam matéria-prima de Estados como São Paulo e Minas Gerais.
MONOPÓLIO
O programa de logística quebrou o monopólio da concessão ferroviária. Até ontem, qualquer serviço ferroviário na região só poderia ser oferecido pela CFN, atual Transnordestina Logística S.A. (TLSA).
Pelo que foi divulgado ontem, o trecho ferroviário Recife-Salvador faz parte do grupo 2 que terá 7,4 mil quilômetros de extensão, incluindo mais cinco trechos que passam por Goiás, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso e Rio Grande do Sul.
O ministério não divulgou o valor do investimento por trecho, embora tenha anunciado um cronograma para o grupo 2 que prevê a realização dos estudos até fevereiro de 2013, o lançamento do edital três meses depois e a assinatura dos contratos (de concessão) entre julho e setembro de 2013.
Fonte: JORNAL DO COMMERCIO



Valter Barreto
(   55 81 8842-1455

"A humildade é o primeiro degrau para a sabedoria", S. Tomás de Aquino.

PQ Antes de imprimir pense em seu compromisso  com o Meio Ambiente

Follow by Email